Foto: Ricardo Stuckert

O quarto dia de carvana #LulaPorMinasGerais foi de muita estrada. Os 330 km entre Araçuaí e Montes Claros levaram praticamente todo o dia para serem percorridos. A caravana partiu às 9h da manhã e só chegou ao destino às 23h. Sem a comitiva, Lula começou o dia visitando o túmulo de Dom Enzo, Crescenzo Rinaldi, sexto bispo da diocese de Araçuaí, falecido em 2011. O ex-presidente se encontrou com a comitiva no Instituto Federal do Norte de Minas Gerais (IFNMG campus Araçuaí), onde o show foi todo dos alunos locais. Depois de ouvi-los, o ex-presidente comentou: "Só a fala desses estudantes aqui já prova que valeu a pena todo investimento feito neste Instituto Federal".

Em Rubelita, a caravana visitou a cisterna que ajuda o viúvo seu Osvaldo a enfrentar o sétimo ano da seca que atinge a região. Na vizinha Salinas, a carvana voltou a visitar um campus da IFNMG. Lula ouviu os professores sobre os problemas que a Instituição está enfrentando com os recentes cortes no orçamento e visitou um laboratório do curso de tecnologia em produção de cachaça, uma das marcas da cidade. O ex-presidente ainda falou no centro da cidade antes de embarcar de volta no ônibus.

A surpresa do dia foi a enorme recepção em Francisco Sá, cidade que não estava no cronograma e que Lula não conhecia. Após ouvir o ex-presidente, o povo d cidade terminou cantando a música "Amigos para siempre". Renovada, a comitiva retornou para o último trecho até Montes Claros, onde pernoitou.

Voltar para o topo