Em entrevista ao jornal Valor Econômico, Ivo Herzog, filho de Vladimir Herzog, classificou a comparação de Flores como algo "absolutamente inapropriado".

A declaração do presidente do TRF4 (Tribunal Regional da 4ª Região), Thompson Flores, de que a sentença que condenou o ex-presidente Lula se assemelha historicamente à que condenou a União pela tortura e assassinato de Vladimir Herzog foi repudiada pela família do jornalista. Em entrevista ao jornal Valor Econômico, Ivo Herzog, filho de Vladimir Herzog, classificou a comparação de Flores como algo "absolutamente inapropriado".

A comparação absurda do presidente do TRF4 ocorreu durante uma entrevista ao jornal o Estado de S. Paulo e foi publicada no último domingo (8).

"A sentença de Herzog vai contra uma política de governo, contra a política do Estado vigente. A do Moro está em linha com os desejos do atual governo. Então não existe a questão de ter coragem. Na realidade, torna-se muito conveniente condenar o Lula no atual momento político do Brasil", analisou Ivo.

Ivo destacou a discrição do juiz Márcio Moraes, que proferiu a sentença contra a União no caso Herzog. "Você vai ter dificuldade de encontrar o juiz Márcio Moraes falando sobre a sentença. Porque ele sempre teve o entendimento sobre o papel do juiz, onde começa, onde termina. E o papel do juiz é dentro do tribunal, não na frente de uma câmera de TV dando entrevista. E torna-se mais inapropriado ainda falar sobre uma sentença antes de ser julgada, como estão fazendo lá no TRF4", declarou. 

O viés político do julgamento ao qual o ex-presidente Lula vem sendo submetido também foi destacado por Ivo. "A sentença de Moraes, que condena a União, também dá ordem para que seja investigado o crime contra meu pai. E essa parte nunca foi cumprida. Então o Estado não vai cumprir a sentença que eventualmente seja dada contra Lula? Tenho certeza que será o oposto. Cumprirá correndo. Então há mais pontos de antagonismo do que semelhanças. Quando faz referência ao caso do meu pai, sinto que ele [Flores] está querendo pegar carona para se tornar mais célebre."

Voltar para o topo