Foto: Ricardo Stuckert

Milhares de trabalhadores se concentraram na noite desta segunda-feira (07) nos arredores do Sindicato dos Metalúrgicos do ABC para marcharem juntos até a Praça da Matriz, no centro de São Bernardo do Campo (SP). Gritos de “boa noite, presidente” e “Lula Livre” foram ecoados pelas ruas de São Bernardo. 

A presidenta do PT, Gleisi Hoffman, voltou a afirmar que Lula é o candidato do PT à Presidência da República. “O Lula pode e vai ser o nosso candidato a presidente”. Ela disse que, em agosto, o partido registrará a candidatura de Lula. Gleisi aproveitou para mandar um recado para Lula: “Nesses 30 dias de injustiça, nós queremos dizer a você, presidente, que não vamos arredar pé da sua defesa”.

A senadora contou um pouco sobre a última visita que fez a Lula na última quinta-feira. Disse que encontrou um homem indignado, mas que está pensando no Brasil. “Ele me disse que está desconjurado com a situação do Brasil”. Ele perguntou: “Foi pra isso que tiraram a Dilma e me prenderam? Para as famílias decidirem entre comprar comida ou comprar gás de cozinha?”. 

O ato foi encerrado pelo presidente do Sindicato, Wagner Santana (Wagnão), que conclamou os trabalhadores a resistir com “coragem e vontade” pela liberdade de Lula, todos os dias.

Visita

Hoje o presidente também recebeu a visita do teólogo Leonardo Boff, que afirmou que Lula segue firme porque escuta os militantes da vigília todos os dias. "Ele disse também que é candidatíssimo e que só renuncia se o Moro apresentar uma única prova contra ele". 

Veja como foi o ato em São Bernardo: 

Voltar para o topo