O ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva começou o último dia da caravana Lula Pelo Brasil no Nordeste com uma visita ao Porto de Itaqui, no Maranhão - nono e último estado nordestino na rota do ex-presidente. Lula está na estrada há vinte dias. Foram mais de 4 mil km rodados, em uma viagem de reencontro com as entranhas do país. 

A visita ao Porto de Itaqui carregou uma simbologia importante. Desde 17 de agosto, Lula está rodando o Nordeste a bordo de um ônibus levando a mensagem de otimismo e de um Brasil possível. E em um cenário de aprofundamento da crise econômica sob a gestão ilegítima de Michel Temer, Itaqui se destaca justamente por driblar a crise e empregar mais de 14 mil trabalhadores direta e indiretamente.  

Para ver as fotos do evento em alta resolução, visite o Fickr do Instituto Lula.

Durante a visita, Lula foi nomeado embaixador do Porto, que hoje é responsável por arrecadar cerca de 35% do ICMS do estado. "Vocês tem um porto numa área privilegiada, um porto que tem certamente o calado profundo do país, que pode aportar navios maiores e, portanto, é preciso dotar esse porto de todos os atrativos econômicos e financeiros para que daqui saiam coisas importantes para o país. Essa é a obrigação de vocês", destacou o ex-presidente. "Quero desejar toda a sorte do mundo ao governador Flávio Dino e torcer para que o Porto de Itaqui continue sendo a cara boa do Maranhão".

Crise econômica

Lula voltou a criticar o atual governo na condução da crise econômica. Para o ex-presidente, o governo Temer tem se mostrado "no mínimo analfabeto econômico". "Lembro que em 2008 fui a televisão fazer apologia ao consumo. As pessoas estavam com medo de perder o emprego e eu fui avisar que, se elas deixassem de consumir, a chance de perder o emprego seria maior. Por isso defendi o consumo com responsabilidade. Em um país que tem um mercado interno do tamanho que tem o Brasil, o governo é no mínimo analfabeto econômico, que não para de falar em cortar", avaliou.

Agenda

Lula se despede hoje do Maranhão, em evento na Praça Dom Pedro II, às 19h. 
 

Voltar para o topo