Foto: Ricardo Stuckert

"Eu sempre digo que quem não gosta de política sempre será governado por quem gosta. A única coisa que não podemos é negar a política, não existe saída fora dela", afirmou o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva nesta sexta-feira (4), em encontro com diversos movimentos de cultura no Campo Limpo, zona sul de São Paulo.

Lula relembrou a fundação do PT para reforçar que, sem atuação política, a juventude não poderá alcançar representatividade nos espaços de decisão. "Eu decidi fundar o PT depois de conhecer o Congresso e ver que os trabalhadores não tinham representação.Não temos saída se não soubermos que a organização política é a única solução em uma democracia. O partido ideal não acontecerá se vocês não estiverem dentro brigando por ele. Se você fica de fora, alguém faz por você", ressaltou o ex-presidente.

Para o ex-presidente, alguns avanços já foram registrados e as futuras eleições também devem pautadas pelo debate da representatividade. "Nenhuma campanha daqui pra frente vai poder fugir à questão; por que as mulheres são tão mal representadas no parlamento? Por que num país de maioria negra são tão poucos eleitos?", avaliou.

Participação popular

Lula destacou o conceito de inclusão das gestões petistas e os avanços da participação popular durante os anos de seu governo. "No meu mandato fizemos 74 conferências. Não teve uma política pública que não foi discutida com a sociedade. As pessoas mais novas não têm obrigação de saber do que fizemos em nosso governo. Mas a gente tem obrigação de contar", pontuou.
 

Voltar para o topo