13 de outubro de 2018

Voluntários em todo o país continuam se mobilizando em torno da candidatura de Fernando Haddad, pela democracia, pela paz e pelos direitos sociais, trabalhistas e políticos. Milhares de pessoas em todo o país criam diversos materiais contra o retrocesso que representa Jair Bolsonaro. Os voluntários da Bahia enviaram vários cards com o desserviço da trajetória do político em diversas frentes. Veja dez motivos para não votar em Bolsonaro – além do fato de ele ser contra a democracia e a favor da violência.

1. A família Bolsonaro teve um aumento patrimonial incompatível com os cargos que ocupam na Câmara dos Deputados, em Brasília. Eduardo Bolsonaro aumentou seus bens em 432%, desde 2014 e Jair Bolsonaro ampliou seus bens em 168% desde 2006.

2. Jair Bolsonaro usou verba da Câmara dos Deputados, durante 15 anos, para empregar uma mulher que trabalha vendendo açaí em Angra dos Reis (RJ). Ele manteve a funcionária fantasma, Walderice Santos da Conceição, desde 2013 e só a demitiu quando foi denunciado por uma matéria da Folha de S.Paulo

 

3. Jair Bolsonaro recebeu auxílio moradia de 1995 até março de 2018, mesmo tendo imóvel próprio em Brasília. Confrontado sobre o porquê,  ele afirmou que, como era solteiro, usou o imóvel para “comer gente”.

4. Deputado federal há 27 anos, Bolsonaro  aprovou apenas dois projetos na Câmara, e nenhum para melhorar a segurança pública no Rio de Janeiro. 

5. Bolsonaro apoia o teto de investimentos públicos em setores como saúde e educação por 20 anos (Emenda Constitucional 95). Vale notar que  Bolsonaro, primeiro, disse que votaria contra a proposta, mas na hora H votou a favor. Essa mudança de opinião se deu após Michel Temer oferecer um banquete, que custou R$ 35 mil aos cofres públicos, aos deputados para pedir apoio na votação da emenda.

6. Bolsonaro quer mudar o código penal para tornar “excludentes de licitudes” policiais que matarem em serviço. Isso significa dar “carta branca” para a PM assassinar alguém impunemente.

7. O candidato do PSL é autor de um projeto de lei que pediu a revogação de atendimento emergencial, integral e multidisciplinar para vítimas de violência sexual pelo SUS.  O argumento de Bolsonaro era de que a lei teria como finalidade preparar o terreno para a legalização do aborto no país.

8.Bolsonaro se arvora em dizer que foi o único deputado que votou contra a PEC das Domésticas. Essa lei garantiu que as empregadas domésticas passassem a ter uma jornada de trabalho de 8 horas por dia, direito a horas extra, salário-maternidade, auxílio-doença, aposentadoria por invalidez,  entre outros vários outros benefícios.

9. Em 1993, Jair Bolsonaro criou um Projeto de Lei para tornar sem efeito o Decreto de 25 de maio de 1992, que homologa a demarcação administrativa da terra indígena Yanomami nos estados de Roraima e do Amazonas.

10. O deputado federal é autor do projeto de lei que propõe proibir o uso do nome social para travestis e transexuais em boletins de ocorrência.