20 de dezembro de 2021
Foto: Ricardo Stuckert

Ao receber nesse domingo (19) o Troféu Perseverança – Sigmaringa Seixas, do grupo Prerrogativas, o ex-presidente Luz Inácio Lula da Silva lembrou a desigualdade social no país e disse que todos os brasileiros têm direito de viver bem, sem passar por necessidades. Lula lembrou que estava falando de um dos restaurantes mais chiques do país, mas que nesta semana estará na sede do Sindicato dos Bancários conversando com os moradores de rua e com os catadores de material reciclável.

Lula defendeu que todos tenham direito de comer um churrasco, de ir a um restaurante. “É preciso acabar com essa história de que o pobre gosta de ser pobre e comer mal. O pobre gosta de coisa boa. Ninguém quer ficar na fila do osso. O pobre sonha em melhorar de vida. Só vamos acabar com a fome e pobreza no dia em que nós aprendermos a compartilhar e distribuir”.

Ele lembrou que em 2003 foi o único presidente do mundo a discursar tanto para o Fórum Social quando para o fórum econômico mundial e falou nos dois lugares sobre o mesmo tema, a fome.  O ex-presidente destacou que a fome, a inflação, o desemprego e a desesperança estão mais fortes hoje do que em 2003, porque o Brasil tem um governo que incentiva a compra de armas e que destrói as políticas públicas de educação e tecnologia.

Lula afirmou o Brasil já foi a 6ª economia do mundo, era um orgulho diante dos outros países, está hoje desmoralizado. “É em nome do orgulho do povo brasileiro, da necessidade de a gente voltar a andar de cabeça erguida, que eu convido vocês: a briga não é minha, a briga é nossa e somente juntos vamos vencer essa luta.”

Ele disse ainda que nenhuma mulher ou homem fica velho, se tiver uma causa nobre e ele tem duas motivações na vida. Ele contou que aos 74 anos se apaixonou e aos 76  quer lutar para provar que o povo brasileiro vai reconstruir o país. “O povo vai voltar a trabalhar, vai voltar a comer, a viajar de avião, a ir pro exterior, a entrar numa universidade e a conquistar a cidadania”.

O ex-presidente voltou a dizer que qualquer candidato pode ir para TV mentir, menos ele, que tem um legado e não pode voltar à presidência e fazer menos do que já fez.

Temos que ter paciência”, diz Lula sobre eleições 2022

Lula agradeceu a presença dos governadores do Piauí, Wellington Dias, de Pernambuco, Paulo Câmara, e da Bahia, Rui Costa, e aos prefeitos que estiveram presentes à cerimônia em sua homenagem. Ao agradecer também a presença do ex-governador de São Paulo Geraldo Alckmin, Lula comentou o burburinho na imprensa sobre o encontro dos dois e de uma eventual chapa com ambos nas eleições presidenciais de 2022.

“Primeiro, eu ainda não decidir a minha candidatura. Eu sei da responsabilidade que eu tenho quando eu disser se sou candidato. O Brasil de 2023 é muito pior do que o Brasil de 2003, eu tenho muita responsabilidade e eu não quero brincar com o povo brasileiro. A segunda coisa é que quem vai decidir é meu partido, que tem uma história”,  disse Lula, lembrando também que Alckmin ainda vai decidir em qual partido vai se filiar. “Nós temos que ter paciência”, afirmou.

Autocrítica da imprensa

“Eu tinha tanta convicção de que o passar do tempo iria provar que tinha sido montado uma quadrilha, envolvendo o juiz Moro, envolvendo uma parcela muito significativa dos meios de comunicação que não tiveram nenhum compromisso com a verdade e preferiram transformar as mentiras contadas contra mim em verdade. Mesmo assim , eu achava que a verdade ia vencer”, disse Lula, afirmando que espera que um dia um determinados setores da imprensa façam uma pequena autocrítica de tudo que fizeram contra ele.

“Uma figura como Sigmaringa faz falta ao mundo”

Lula foi homenageado por sua trajetória de superação, por ter enfrentado 580 dias de uma prisão injusta e persistido com a certeza de que sua inocência prevaleceria. Ao receber o Troféu,  o ex-presidente falou emocionado do advogado e ex-deputado Sigmaringa Seixas, o Sig, como era conhecido, foi deputado constituinte e sempre lutou pelas causas populares. “Uma figura como Sigmaringa faz falta ao mundo. Esse mundo desumanizado, esse mundo do ódio a gente precisa de gente com sentimento, com alma, com espírito de fraternidade. E esse cara faz falta. Esteja onde estiver, você continua vivo na minha cabeça, na minha alma e no meu coração”, falou Lula.

Assista à entrega do Troféu Perseverança no evento do Grupo Prerrô: