26 de outubro de 2020
Foto: Ricardo Stuckert

Da Redação do PT

Partido dos Trabalhadores e a Fundação Perseu Abramo lançaram nesta segunda-feira, 19 de outubro, durante o seminário Reconstruir e Transformar o Brasil, um jornal de 4 páginas sintetizando os principais pontos do Plano de Reconstrução e Transformação do Brasil, com propostas para a retomada da economia e saídas para a crise. O download do jornal pode ser feito aqui.

A ideia é mostrar quais as ideias do PT para retirar o país da crise com um projeto de desenvolvimento que permita a inclusão social. A luta pela redução das desigualdades e da distribuição de renda é central para tirar o país do atoleiro que se encontra por conta da política econômica adotada pelo presidente Jair Bolsonaro e idealizada pelo ministro da Economia, Paulo Guedes.

Em discurso, Lula convocou a população para a ação, por soberaniaemprego e desenvolvimento social. “O papel do Estado foi e é apenas pensar em resolver problemas do sistema financeiro e nada na área social”, denunciou, criticando diretamente Bolsonaro. “Não existe nada sobre geração de empregos e desenvolvimento social”, cobrou.

foto: Ricardo Stuckert

Lula: “Temos de chamar a população para discutir os problemas do Brasil. Não é possível, não existe solução se o povo não assumir a responsabilidade. O povo não pode continuar votando em um Congresso de extrema direita, como temos hoje, e depois esperar mudanças em benefício do povo”

“Temos de chamar a população para discutir os problemas do Brasil. Não é possível, não existe solução se o povo não assumir a responsabilidade. O povo não pode continuar votando em um Congresso de extrema direita, como temos hoje, e depois esperar mudanças em benefício do povo”, disse Lula.

Debate para o futuro

Presidente da Fundação Perseu Abramo, o economista Aloizio Mercadante lembrou de Walter Benjamin, o teórico da Escola de Frankfurt ,segundo o qual o presente é sempre uma disputa do passado. “Eu acrescentaria que nós estamos disputando o passado, a narrativa do passado, mas também estamos disputando qual futuro nós vamos construir e o PT, diferente dos outros partidos, que as vezes são um condomínio de parlamentares ou que só existem partidariamente em momento eleitoral, o PT é um partido de militância, é um partido que tem vida democrática, que tem pluralidade, que tem debate, que formula proposta durante todos momentos da história”, comentou, durante o seminário.

O ex-ministro defendeu que, na oposição, a tarefa do PT é fiscalizar e cobrar, é lutar contra essa tragédia que é o governo Bolsonaro, mas, ao mesmo tempo, é apresentar propostas e alternativas para a sociedade brasileira. “Fiscalizar e cobrar é o papel da oposição, mas somos uma oposição que tem projeto histórico, que é portadora do futuro, que defende valores, que defende uma utopia de país e que luta em cada momento para defender o povo brasileiro nessa tragédia histórica que nós estamos enfrentando”, afirmou.

Mensagem de esperança

O jornal aponta que o povo brasileiro já sofreu muito com a destruição do país, e está sofrendo ainda mais com um governo que liga para as vítimas da pandemia. “Mas nós não vamos desistir. Onde houver desigualdade e injustiça sempre haverá a vontade de mudar e construir um país melhor. O PT quer mostrar a você um projeto para enfrentar essa crise e para o Brasil voltar a ser um país com oportunidades para todos. É o Plano de Reconstrução e Transformação do Brasil, pensando no povo em primeiro lugar”, diz o texto do informativo.

O PT lembra que o plano tem como objetivo construir um estado forte e democrático, capaz de garantir acesso à saúdeeducação de qualidade, segurança, cultura, trabalho com direitos. “Garantir de fato a liberdade e os direitos do povo. Nós já provamos que isso é possível. Podemos fazer de novo e de um jeito melhor, com mais democracia e enfrentando pra valer as desigualdades”, aponta.

Acesse a cartilha do Plano de Reconstrução e Transformação do Brasil: