06 de junho de 2019
Foto: Ricardo Stuckert

O reconhecimento de que Lula pode progredir para o regime semiaberto deve ser aceito pelo Superior Tribunal de Justiça (STJ). Essa é a avaliação do governador do Maranhão, Flávio Dino (PCdoB), que visitou Lula nesta quinta-feira (06) junto com a vice-governadora de Pernambuco, Luciana Santos, presidenta nacional do PCdoB.

“Espero que o STJ acolha [a progressão de regime]. Justiça seria se não tivesse havido essa condenação, mas, diante da arbitrariedade que foi cometida contra o ex-presidente, a chamada detração é um caminho para garantir que ele recupere parte de sua liberdade e possa ajudar a política brasileira”, apontou o governador Flávio Dino.

O governador também destacou que Lula é a maior liderança popular do país que, apesar desse momento em que é vítima de uma prisão política, “ele ainda tem muito a dizer e a fazer pelo Brasil”. Ainda segundo Dino, durante a conversa, o ex-presidente destacou a necessidade dos movimentos continuarem com as ações em defesa da democracia, dos mais pobres e, sobretudo, da soberania do Brasil. “Não é só a política externa, mas um conceito de governo que cuida dos interesses do povo brasileiros”, explicou o governador.

A grandeza de Lula para o Brasil também foi lembrado pela vice-governadora Luciana Santos. “Ele é um preso político, que está aqui [na Superintendência da Polícia Federal de Curitiba] de maneira arbitrária e está lutando por justiça, mas também por bandeiras que são caras para o Brasil. Lula tem sido assertivo na defesa da soberania nacional e da importância do Nordeste, da articulação dos governadores para lutar contra essa agenda de retrocessos do governo de Jair Bolsonaro”, destacou.

Da Agência PT