27 de maio de 2018

No dia em que a prisão política e arbitrária do presidente Luiz Inácio Lula da Silva completa 50 dias, diversas cidades brasileiras realizaram neste domingo (27) o aquecimento da pré-candidatura de Lula à Presidência da República. 

Manifestantes, representantes de movimentos sociais e militantes do Partido dos Trabalhadores em Brasília (DF), Curitiba (PR), Natal (RN), Goiás (GO), Campo Grande (MS), Rio de Janeiro (RJ), Salvador (BA), Belo Horizonte (BH), Santo André (SP), São Paulo (SP), Caxias do Sul (RS), Olinda (PE), Caruaru (PE), Itacoatiara (AM) e em outras cidades do país se mobilizaram em defesa da liberdade e pelo direito de Lula ser candidato. 

Na pauta das mobilizações, diante de um país que vivencia o caos da política de desmonte de direitos instaurada por um governo ilegítimo, um desejo em comum: que o maior líder das pesquisas eleitorais assuma o comando do Brasil outra vez e devolva ao povo o direito de sonhar com uma vida mais digna. 

Em São Paulo, o ato foi realizado no Diretório Municipal do PT e contou com a presença da ex-ministra das Mulheres, Eleonora Menicucci, da vereadora Juliana Cardoso (PT-SP) e do presidente da CUT Nacional, Vagner Freitas. 

“O Brasil precisa de Lula. Ele está preso porque não concorda com a entrega dos bens nacionais. O país precisa voltar a crescer e Lula é a liderança para conduzir a retomada de crescimento. Ele é inocente e será o nosso presidente”, reforçou Vagner. 

Para a ex-ministra Eleonora, somente Lula poderá resgatar e consertar o país. “Não sairemos das ruas enquanto Lula não for solto”, afirmou. 

“Só a democracia e a sua radicalização oferecem respostas aos anseios do povo. Outra saída é oportunismo de ocasião. Democracia não admite vetos, requer disputa”, comentou a senadora e presidenta nacional do PT, Gleisi Hoffmann