17 de outubro de 2018

Nesta quarta-feira (17/10), Jair Bolsonaro visitou a sede da Polícia Federal no Rio de Janeiro. Em evidente agenda de campanha, Bolsonaro voltou a cometer crime eleitoral ao pedir votos para si próprio dentro de prédio público. O candidato disse, na saída da PF, que “no dia 28, data do segundo turno, é 17”, seu número de urna.

Segundo o artigo 355 do Código Eleitoral, é proibido pedir voto dentro de instalação pública. Além disso, a visita do candidato à PF alterou o funcionamento do órgão, impedindo, por exemplo, que advogados entrassem no prédio.

Durante a visita, Bolsonaro provou, mais uma vez, seu vício em mentiras: disse que Lula não foi a debate no segundo turno em 2006 — mentira pura e simples.

Não é a primeira vez que Jair, o covarde, faz agenda de campanha em órgãos de segurança pública. No último dia 15, o candidato visitou o prédio do  Bope no Rio de Janeiro e também cometeu crime eleitoral, discursando e pedindo votos.