23 de outubro de 2018

Jair Bolsonaro afirmou em entrevista à TV Cidade Verde, afiliada do SBT no Piauí, que acabará com a política do “coitadismo” a nordestino, gay, negro e mulher. “Isso não pode continuar existindo. Tudo é coitadismo. Coitado do negro, coitado da mulher, coitado do gay, coitado do nordestino, coitado do piauiense. Vamos acabar com isso”, disse.

A fala do candidato faz referências às políticas sociais. Bolsonaro não tem compromisso com inclusão social no Brasil. Não tem compromisso com “minorias” e quer acabar com as políticas de reparação histórica referentes a atrocidades que tiraram desses grupos direitos fundamentais durante décadas.

Bolsonaro ataca mulheres, chama a filha mulher de “fraquejada”, já disse que o Bolsa Família é uma “mentira”, se autodeclara homofóbico, é contra a demarcação de quilombos e afirmou que quilombolas “não servem mais nem como reprodutores”.

Vale lembrar que, em agosto do ano passado, o vereador Carlos Bolsonaro, filho de Jair, compartilhou no Twitter um vídeo em que Bolsonaro afirmou: “Não vou ficar broxa pra agradar eleitor! O voto é problema de vocês… Tá cheio de cara bonzinho por aí! Façam o que bem entender… ‘Coitado do gay, do negro, da mulher, do nordestino’… Todo mundo é coitado no Brasil”. Ele ainda ironizou: “Coitado, temos que tratar bem todo mundo”.