12 de abril de 2022

Já conhecido pelas inúmeras mentiras e boatos que conta todos os dias para seus apoiadores e para o povo brasileiro, Jair Bolsonaro agora alega que o sistema de pagamentos eletrônicos Pix seria uma realização de seu governo. E, mais uma vez, ele é pego em uma mentira fácil de ser desmentida.

Com uma simples consulta no Google, é simples encontrar o Comunicado nº 32.927, de 21 de dezembro de 2018, no site do Banco Central. Nesse documento, emitido 11 dias antes da posse de Bolsonaro e que pode ser acessado no link acima, o BC divulga as regras do chamado “ecossistema de pagamentos instantâneos brasileiro”.

Na nota está bem claro o funcionamento do sistema tal como conhecemos hoje, na prática, o Pix só seria lançado em todo o Brasil em novembro de 2020, após um período para adaptação dos bancos e do “ecossistema” e uma fase inicial de testes.

A falta de conhecimento do presidente sobre o assunto fica evidente quando, em um vídeo gravado no “cercadinho do Alvorada” ainda em 2020, um apoiador o elogia pelo novo sistema, que estava em implantação, e ele diz “não tomei conhecimento”.

Agora, além de assumir a paternidade de um filho que não é seu, a milícia digital de Bolsonaro volta a mentir dizendo que, se for eleito em outubro deste ano, o ex-presidente Lula pretende acabar com o Pix.

“O Bolsonaro conta 7 mentiras por dia, em média. Agora, anda mentindo sobre o Pix, dizendo que eu vou acabar com o Pix. Justo eu, que quando estive no governo coloquei 45 milhões de pessoas no sistema bancário. Gente que nunca tinha tido uma conta no banco, uma poupancinha. O Bolsonaro fica aí querendo posar de pai do Pix, mas é o pai da mentira”, criticou Lula, em uma entrevista recente.