24 de janeiro de 2019

O ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva recebeu nesta quinta-feira (24) a visita da presidenta nacional do PT, a deputada federal Gleisi Hoffmann, e do vice-presidente do PT, Márcio Macêdo. Durante a visita, eles conversaram sobre a situação na Venezuela e sobre a postura do atual governo com relação ao país vizinho.

“Qual é a moral desse governo que prendeu seu maior adversário, fraudou a eleição em um processo de Whatts App pago com caixa 2, qual é a moral que ele tem pra falar do governo da Venezuela? Bolsonaro não consegue cuidar do filho e quer se meter no país alheio”, questionou Lula durante o encontro.

Sobre as recentes denúncias envolvendo a família Bolsonaro, a presidenta do PT cobrou do ex-juiz e agora ministro da Justiça, Sérgio Moro, uma posição. “Onde está Sérgio Moro, o pregador da moralidade, que não comenta as denúncias contra a família Bolsonaro?”.

O vice-presidente do PT, Márcio Macêdo, ressaltou a disposição e lucidez de Lula para manter um firme enfrentamento ao novo governo. “É a maior injustiça da História do nosso país. Tiraram Lula das ruas para que ele não ganhasse a eleição. Fiquei muito emocionado porque vi Lula muito firme na luta e preocupado com o país. Eu brinco que Deus fez Lula e jogou a forma fora. É um ser humano único”, relatou Macedo.

Renúncia e exílio de Jean Wyllys

Após a saída da Polícia Federal, Gleisi se pronunciou sobre a renúncia e exílio do deputado Jean Wyllys. “Quero manifestar minha solidariedade ao deputado Jean Wyllys e fazer um apelo para que ele não deixe o país. Que ele fique aqui e resista. Não podemos baixar a cabeça, essa gente não pode achar que ganha no grito. O que está em risco aqui, além da democracia, são os direitos da população”, afirmou.