16 de outubro de 2014

Pela primeira vez, o Brasil comemora dia Mundial da Alimentação fora do mapa da fome da ONU . O dia 16 de Outubro é, desde 1981, o Dia Mundial da Alimentação, um importante marco na conscientização sobre segurança alimentar e nutrição. Neste ano a ONU definiu a agricultura familiar como tema central da comemoração.

Este é um sinal claro de que a comunidade internacional reconhece a importante contribuição dos agricultores familiares para segurança alimentar mundial. A agricultura familiar é fundamental na erradicação da fome e da pobreza, na gestão dos recursos naturais, na proteção do meio ambiente e no desenvolvimento sustentável.

O recente relatório  da FAO “O Estado da Segurança Alimentar e Nutricional no Mundo 2014”, divulgou que aproximadamente 805 milhões de pessoas vivem em situação de insegurança alimentar no mundo. O nosso país, no entanto, caminha em direção oposta a essa estatística graças aos seus programas, ações e estratégias que transformaram o país em referência mundial no combate à fome.

Nesta data, também celebramos grandes vitórias brasileiras em 2014. Segundo a FAO, com os programas Fome Zero, ao Bolsa-Família e ao Brasil Sem Miséria, foi possível reduzir a pobreza extrema em 75% e a pobreza em 65%. O Brasil também saiu do “Mapa da Fome”, divulgado todos os anos pela mesma organização e alcançou o primeiro objetivo do milênio da ONU “Erradicar a Extrema Pobreza e a Fome”.

“O Brasil é um grande exemplo nesse aspecto porque estabeleceu essa causa como uma prioridade nacional. Ele provou que um país grande pode reduzir a insegurança alimentar e ainda influenciar toda uma região e o mundo”, disse a representante adjunta da FAO para América Latina e Caribe, Eve Crowley, destacando que a América Latina e o Caribe tiveram juntos o melhor desempenho no combate à insegurança alimentar dos últimos anos. A região concentra atualmente 6,1% das pessoas com insegurança alimentar, percentual bem abaixo dos 15,3% registrados em 1992.

Em vídeo produzido pela ONU Brasil, especialistas comentam os avanços do Brasil no combate a fome e a pobreza: