24 de maio de 2019
Foto: Ricardo Stuckert

A Caravana Lula Livre com Fernando Haddad chegou na manhã desta sexta-feira (24) na cidade de Santarém, no Pará. Fernando Haddad e a presidenta nacional do PT, Gleisi Hoffmann, estiveram em mais um ato em defesa da educação, dessa vez na Universidade Federal do Oeste do Pará (UFOPA).

O professor parabenizou os resultados da UFOPA em seus dez anos de existência e lembrou da época em que foram criadas as universidades e as políticas de inclusão pelo governo do PT: “A imprensa dizia que nós, com a política de colocar os negros e pobres na universidade, íamos acabar com a qualidade. Falavam que era um lugar de mérito e que não podia entrar qualquer um.”

“Vocês mostraram para essa elite do que são capazes. Do que foi dia o 15 de maio. Eles acharam que as ruas e a bandeira eram deles. Vocês demostraram que tem um projeto de país muito mais sofisticado que eles. Eles falavam que a gente ia colocar gente sem inteligência e capacidade na universidade, mas foram eles que colocaram um burro na Presidência, que só quer armar a população”, continuou Haddad.

Além da luta pela educação e pela democracia, o ex-ministro da educação ressaltou o outro pilar da Caravana: a luta pela liberdade de Lula. “Fazemos justiça para todos, mas também para cada um. E se tivermos um injustiçado, temos que olhar para ele. E hoje, infelizmente, temos um preso político nesse país, que é o ex-presidente Lula”, destacou.

Em sua fala, Haddad também fez questão de mencionar a decisão de ontem do Supremo Tribunal Federal (STF) de criminalizar a homofobia, mostrando que o país não vai aceitar o preconceito e o ódio pregados por Bolsonaro: “Nosso Brasil é o Brasil que se expressou pela decisão de ontem no STF, de que não vamos aceitar nenhuma descriminação, preconceito.”

Educação é soberania
A deputada federal e presidenta nacional do PT, Gleisi Hoffmann, esteve presente em mais um dia da Caravana e fez de sua participação mais um momento para relembrar a importância da luta pela educação do país e pela liberdade de Lula: “Não tem como ter um país soberano se não se investir em educação e ciência e tecnologia.”

“Uma das coisas mais importantes é que mudamos o perfil do ensino universitário brasileiro. Hoje, 70% dos alunos vem de família de baixa renda e isso graças à força da educação da escola pública que foi importante para que o filho do trabalhador, filho daqueles que dão duro para construir esse país, dos negros, da população indígena pudessem chegar a universidade”, completou.

Gleisi ainda reforçou a luta por Lula Livre: “Lutamos pela liberdade de Lula, sobretudo, porque ele é um símbolo do momento em que a população brasileira se encontrou com o seu país.”

Airton Faleiro, deputado federal, falou em nome dos outros parlamentares presentes no ato em defesa da educação. O deputado é de Santarém e deu as boas-vindas à Haddad, Gleisi e à Caravana. Faleiro elogiou Haddad por ter sido o ministro que realizou sonhos, mencionando a criação da UFOPA anos atrás.

Sobre a luta do povo por seus direitos, acrescentou: “Historicamente, a nossa juventude fez as grandes transformações e dessa vez não vai ser diferente. Nós vamos ser a trincheira combinada com a luta de rua que vocês estão fazendo. Temos também que derrotar a reforma da Previdência. Temos que defender os territórios dos povos da Amazônia.”

Da Agência PT