28 de março de 2022

As famílias brasileiras que já vivem no aperto, por causa da falta de iniciativas do governo federal, enfrentam nova disparada dos preços, com o salário valendo cada vez menos e o poder de compra caindo mês a mês.

Segundo dados divulgados na sexta (25 de março) pelo IBGE, o IPCA-15 teve alta de 0,95%, em março, a maior variação desde março de 2015. No acumulado do trimestre, o chamado IPCA-E, a inflação chega a 2,54%. Em 12 meses, atinge 10,79%.

Com alta constante dos combustíveis, os demais produtos sofrem efeito cascata e também aumentam de preço. Segundo informações do IBGE, houve alta em todos os nove grupos de produtos e serviços pesquisados, mas os grupos Alimentação e Bebidas, Saúde e Cuidados pessoais e Transportes representaram 75% do impacto do período.

No segmento alimentos, a cenoura ficou 45,65% mais cara, o tomate, 15,46%, a batata-inglesa 11,81% e as frutas, 6,34%

No grupo Transportes o maior impacto segundo o IBGE veio justamente do subitem gasolina. Óleo diesel e GNV também influenciaram a alta.

O ex-presidente Lula tem feito críticas frequentes às altas descontroladas dos preços dos combustíveis e o fato de haver no Brasil um grande número de empresas que importam gasolina. Lula defende que os preços dos combustíveis sejam abrasileirados. Ele defende também investimento em refinarias – como fazia o PT – para que o Brasil tenha capacidade de exportar, em vez de importar, gasolina.