28 de agosto de 2018
Foto: Mídia Ninja

Em outubro do ano passado, o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva iniciava a segunda etapa do projeto Lula Pelo Brasil. Depois de passar por vários municípios de nove estados do Nordeste, ele chegou a Minas Gerais pelo Vale do Aço, em uma jornada que iria percorrer doze cidades mineiras, durante oito dias. E, assim como os nordestinos, os mineiros também receberam Lula calorosamente, em agradecimento ao que o ex-presidente fez pelo Estado em todas as áreas, mas, principalmente, pelas camadas mais pobres da população.

Durante os governos petistas, mais de 1,4 milhão de mineiros deixaram a extrema pobreza, graças a um conjunto de programas sociais. Somente em abril de 2016, 1,1 milhão de famílias – ou mais de 3,3 milhões de pessoas – foram atendidas pelo Bolsa Família em todo o estado.  

No período, foram distribuídas mais de 98,8 mil cisternas para consumo e produção agrícola. Uma produção que só foi possível graças a programas de fomento à agricultura familiar, auxiliando 11.331 famílias em extrema pobreza a gerar renda com o que plantam. Com o Bolsa Verde, que alia a transferência de renda a atividades de conservação ambiental, foram mais de 6 mil pessoas beneficiadas. O programa foi eliminado do orçamento de 2018 por Michel Temer.

Os governos do PT também investiram em emprego em Minas Gerais. De 2003 a 2016, foram criados 1,8 milhão de postos de trabalho, um aumento de 59% do total de vagas. No período, muita gente também pôde ter a oportunidade de morar melhor. Foram entregues no estado 328.635 moradias e outras 114.572 mil foram contratadas, totalizando 443,2 mil, através do Minha Casa Minha Vida.

Para Lula, a educação é um direito humano fundamental e um instrumento poderoso de desenvolvimento econômico e social. Por isso, em seus governos, ela foi priorizada. Em Minas, três universidades e 16 campi universitários foram criados. Outras 43 novas escolas técnicas foram construídas. Por meio do programa de financiamento universitário, o FIES, 353.467 estudantes tiveram acesso à universidade. No Prouni, foram 220.421 beneficiados pelo programa desde 2005.

Durante a gestão de Lula e Dilma, na área da saúde, mais de 4 milhões de mineiros foram beneficiados com medicamentos gratuitos. Também foram instaladas seis mil farmácias da rede Aqui Tem Farmácia Popular.

Todo esse verdadeiro patrimônio, conquistado pelo povo durante os governos petistas, está ameaçado por causa de Michel Temer e PSDB, grande aliado do presidente impostor.

E a grande arma que se tem para impedir o desmonte pretendido pelos golpistas é o Plano Lula de Governo. Na área de educação, o próximo governo devolverá à área sua prioridade estratégica. Para isso, vai atuar fortemente na formação dos educadores, na gestão pedagógica da educação básica, na reformulação do ensino médio e na expansão da educação integral. Em articulação com os planos estaduais e municipais, Lula pretende concretizar as metas do Plano Nacional de Educação. Será criado um novo padrão de financiamento, visando progressivamente investir 10% do PIB em educação, e será institucionalizado um novo Fundeb, entre outras ações.

Na Saúde, o PT reafirma o compromisso de defender o SUS e continua a luta por sua implantação total, como direito social de todo o povo brasileiro e como dever do estado. E isso não pode ser feito sem aumentar o financiamento da saúde, valorizar os trabalhadores do setor, investir no complexo econômico-industrial da saúde e aprimorar a articulação federativa entre municípios, Estados e União.

O terceiro mandato de Lula vai introduzir uma agenda estratégica de transição ecológica, que colocará as políticas ambientais, territoriais, regionais, produtivas, tecnológicas, científicas e educacionais como instrumentos para construir as bases para um Brasil do futuro mais próspero, mais inovador e sem pobreza.

Para promover a economia de baixo impacto ambiental e de alto valor agregado, Lula vai mobilizar recursos por meio de um conjunto de políticas de financiamento público de baixo custo, que ajudará a reduzir os gastos e os riscos da transição. Em sua nova gestão, Lula vai garantir água de qualidade para todos. Para isso, vai retomar ações iniciadas nos governos petistas e adotará novas medidas para ampliar a infraestrutura de oferta de água.