07 de outubro de 2018

É véspera de eleição, e o pessoal não cansa de criar notícias falsas, divulgar boatos e notícias antigas para enganar os eleitores e tentar melhorar a votação do seu candidato. Agora, a turma das fake news está divulgando uma foto de 2012 como se fosse de 2018, tentando mostrar um suposto apoio de Temer a Haddad nas atuais eleições para presidente da República. É lógico que é mentira! Temer NÃO apoia Fernando Haddad.

Isso é falso. A história não resiste a um breve exame dos fatos. Temer foi um dos líderes do golpe que tirou Dilma Rousseff da presidência em 2016 e, depois que assumiu o poder, passou a adotar um programa de governo totalmente ilegítimo e que não foi referendado pelas urnas quando Dilma foi eleita presidenta.

O Plano de Governo de Haddad, Manuela d’Ávila e Lula prevê a revogação e a mudança de várias políticas adotadas por Temer que prejudicaram o Brasil, os trabalhadores, as pessoas mais pobres.

E como essa foto de Temer, Haddad e Chalita apareceu agora? É uma reportagem da revista Veja, de 2012, sobre as eleições municipais, muito antes de Temer ter atuado no sentido de atacar Dilma e o PT. Temer, na ocasião (primeiro governo Dilma), era vice-presidente da República.

Segundo informações publicadas na internet, houve uma alteração na data da matéria de 2012 para agora. Indexada no Google com data de 1° de outubro, a matéria se tornou, no dia 4 de outubro, uma das mais compartilhadas por apoiadores das campanhas contra Haddad, especialmente dos seguidores do candidato do PSL, Jair Bolsonaro.

A foto traz Temer, Haddad e Gabriel Chalita e é relativa à disputa de segundo turno para a Prefeitura de São Paulo. Na ocasião, Chalita havia ficado em quarto lugar no primeiro turno da disputa e declarou apoio a Haddad para o segundo turno em que o petista sairia vitorioso.

Mais um capítulo das distorções, notícias falsas e fake news que marcam essa eleição. Cabe também o registro de que, neste sábado (6/10), o Tribunal Superior Eleitoral emitiu uma histórica decisão, determinando a retirada de diversos conteúdos com flagrantes mentiras, boatos e fake news contra a candidatura de Haddad e Manuela.