13 de setembro de 2018

O ex-primeiro-ministro italiano Massimo D’Alema e o ex-governador do Distrito Federal do México Cuauhtémoc Cárdenas visitaram o presidente Lula, nesta quinta-feira (13/9), em Curitiba, em solidariedade à sua injusta prisão.

D’Alema disse que viu o presidente Lula com o mesmo espírito do último encontro entre os dois, há muitos anos, no Palácio do Planalto: Lula mantém a mesma visão e a mesma coragem de servir ao povo brasileiro, disse o ex-premier italiano. “Apesar da injustiça que sofreu, Lula é um homem sereno que continuará a ser muito precioso para este país, depois de ter sido o melhor presidente do Brasil”, disse. Segundo D’Alema, isso explica a solidariedade que o povo tem para com Lula. Mesmo em ambientes que não são da esquerda, a solidariedade está presente, porque Lula fez por merecer.

O ex-primeiro-ministro italiano disse ainda que a prisão de Lula não afetou a imagem que a Europa tem do ex-presidente. D’Alema explicou que muitos juristas internacionais examinaram a conduta da Justiça brasileira, constatando que os direitos de Lula não foram garantidos e que não há provas para sua condenação. “Condenar este homem a 12 anos é uma monstruosidade. Esse é o pensamento de grande parte dos juristas europeus”, afirmou.

Também o governador mexicano Cuauhtémoc Cárdenas expressou sua solidariedade ao ex-presidente brasileiro, ressaltando que encontrou Lula com o mesmo espírito altivo e combativo de sempre. Isso é um alento e um motivo de grande otimismo, apesar da situação de injustiça sofrida pelo ex-presidente. “Temos confiança que a luta que está sendo travada aqui pelo povo brasileiro irá culminar com o reconhecimento da injustiça cometida contra ele”, finalizou.