07 de outubro de 2018

A família Bolsonaro, mais uma vez, propaga informações incorretas que confundem os eleitores – incluindo os seus  e induz a erro. Na noite de sábado (6), o deputado federal Eduardo Bolsonaro publicou uma foto de sua mão com uma colinha com os nomes e números de seus candidatos para o primeiro turno das eleições, que acontece no domingo.

Neste dia 7, os eleitores vão optar por um(a) deputado(a) estadual, um(a) deputado(a) federal, dois(duas) senadores(as), um(a) governador(a) e um(a) presidente(a).

O problema é que, em vez de indicar um nome para cada vaga no Senado Federal, Bolsonaro duplica o número do candidato de seu partido, o que causa a anulação do voto. Isso porque não é permitido registrar duas vezes o mesmo candidato para as vagas de senador.

Ou seja, quem seguir as orientações do deputado vai, possivelmente até sem saber, anular seu segundo voto e perder a chance de escolher um representante seu. Ao induzir a esse erro, Bolsonaro prejudica diretamente os demais candidatos, bem como o direito de seus eleitores. Se a intenção fosse a de não indicar um segundo nome para o posto, o correto teria sido ter deixado o espaço em branco.