23 de outubro de 2018

A indústria de mentiras e fake news mantida pela campanha de Jair Bolsonaro há muito perdeu os escrúpulos. Mesmo sendo investigada oficialmente por suposto caixa 2 por conta da compra, por parte de empresários, de contratos de divulgação de conteúdos falsos via WhatsApp, as calúnias seguem sendo forjadas e disparadas.

Um dos últimos produtos da fábrica de fake news expõe um plano fantasioso e absurdo de que o Partido dos Trabalhadores estaria preparando um falso ataque contra seus candidatos à presidência e à vice-presidência para incriminar Jair Bolsonaro.

O PT é um partido essencialmente democrático e jamais se veria envolvido em armações do tipo. Contudo, os detalhes da mensagem dizem muito sobre o modo de pensar e o nível baixíssimo de quem se dispõe a criar esse tipo de absurdo: o suposto “agressor” seria um homem branco e de olhos azuis usando “uma camisa do Bolsonaro com uma suástica e foto de Hitler”.

De fato, são imagens comumente lembradas e utilizadas livremente por apoiadores de Bolsonaro, não raro em atos de violência extrema.

Segundo o texto, o roteiro, digno de filme B, seguiria com a manipulação da cobertura da imprensa, a colocação do caso em segredo de Justiça e um ato #elenão às vésperas da eleição. Os institutos, parte do falso conluio, também manipulariam as pesquisas de intenção de voto e, no domingo, agentes não identificados manipulariam as urnas.

O motivo para tese tão descabida e ofensiva ao bom senso é claro: confundir o eleitor incauto contra as investigações sobre a influência das fake news e o uso de dinheiro irregular na campanha de Bolsonaro.

Não por acaso, se vale de diversas fake news já amplamente divulgadas como falsas por sites de checagem, veículos de imprensa e pelo próprio TSE. Notícias mentirosas sobre pesquisas manipuladas e urnas fraudadas foram amplamente utilizadas e publicadas pela própria família Bolsonaro no primeiro turno.

Chega a ser constrangedor o quanto os criadores desses conteúdos desconhecem a história do Partido dos Trabalhadores e desrespeitam a inteligência de eleitores e eleitoras com teorias tão absurdamente falsas. Por tanto insistir que não se tratam de fake news, o texto entrega, de cara, tratar-se justamente de fake news.

O PT sempre respeitou, e seguirá respeitando, os resultados das urnas, mas exige, sim, investigações para garantir a lisura das eleições. O PT é contra o uso de violência e de qualquer tipo de artifício ilegal para manipular as eleições.

Esta eleição deve ser disputada a partir do debate de propostas e ideias. Desconfie de candidaturas que abordam você em suas redes sociais ou WhatsApp com mensagens que fazem tudo, menos tentar propor soluções para o Brasil.

Espalhar mentiras e fake news nas redes sociais é crime! Denuncie pelo nosso canal de WhatsApp – (11) 974 028 726.