22 de setembro de 2018

“O que nós queremos é trazer de volta o Brasil para os brasileiros”, afirmou o candidato à presidência pela coligação “O Povo Feliz de Novo”, Fernando Haddad, na noite desta sexta-feira (21/09). O comício  reuniu milhares de pessoas em Montes Claros (MG). Ao lado de Haddad estavam a presidenta eleita e candidata ao senado, Dilma Rousseff, e o governador e candidato à reeleição, Fernando Pimentel. 

Haddad lembrou que o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva tinha duas obsessões: trabalho e educação. “Ele foi o presidente que mais gerou postos de trabalho na história, e nós elevamos para 8 milhões o número de universitários. Melhor que o número foi a qualidade: o filho do trabalhador, o negro, as mulheres, as camadas majoritárias do nosso Brasil”, declarou o ex-ministro da Educação de Lula. O candidato disse ainda que, nas visitas ao ex-presidente, Lula pediu para que ele cuidasse do norte de Minas. “Nenhum presidente olhou tanto para o norte de Minas Gerais como o ex-presidente Lula”, disse Haddad.

Haddad lembrou que o golpe de 2016 é o responsável pela situação atual do país. “A população não pode se esquecer do Golpe que tirou do pobre o acesso à educação e ao desenvolvimento”, disse ele. Haddad falou ainda que “não adianta prenderem o Lula, porque tem milhões de Lulas espalhados pelo Brasil. Queremos o Brasil de volta para os brasileiros. Podem ter prendido o líder, mas não podem prender suas ideias”.

A presidenta eleita Dilma Rousseff, frente às centenas de pessoas que acompanhavam o comício, afirmou que Haddad vai interromper o processo de sucateamento do nosso país. “Haddad representa a volta da esperança do Brasil. Prenderam Lula, mas não prenderam a ideia do projeto de reconstrução do Brasil”.

Fernando Haddad falou sobre o tamanho da tarefa nessas eleições: “Temos 15 dias para convencer as pessoas de que o Brasil pode voltar a ser feliz. Nós estamos vivendo uma crise política que só pode ser superada na urna. É o povo que vai libertar o Brasil de seus algozes”.