16 de setembro de 2021

Em entrevista à Rádio Nacional da Espanha (RNE), divulgada nesta quinta-feira (16), o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva assegurou que, apesar dos retrocessos vividos neste último período da história do Brasil, o país “voltará a ter um governo sério e que ama a democracia”. Ex-presidente destacou a necessidade de reconstruir o país e devolver direitos ao povo.

“São milhões e milhões de brasileiros que estavam alegres em 2011, 2012, 2013 e agora vivem uma situação muito difícil, com a incompetência e ausência de governo no nosso país”, disse Lula, destacando as omissões e as escolhas equivocadas do atual governo, que ao invés de seguir as recomendações científicas contra o coronavírus, promoveu tratamento precoce e adiou a compra de vacinas, resultando na catástrofe da covid-19 no Brasil.

Fome e desemprego

Além de agravar a crise sanitária no Brasil, o atual governo fez ressurgir a fome e aumentar o desemprego. Para Lula, esses são os principais problemas a serem enfrentados no país. Ele lembrou que esteve com o Papa Francisco no ano passado para convencê-lo da necessidade de realizar uma campanha contra as desigualdades sociais.  “Temos milhões de brasileiros passando fome, quando nós tínhamos acabado com a fome no Brasil. A ONU reconheceu que saímos do Mapa da Fome. E agora voltou. Existem muitas pessoas famintas, desempregadas, na economia informal”, apontou.

Para ele, é necessário pensar no momento pós-pandemia como de reconstrução total. “O povo voltou a um passado tenebroso que havíamos superado e precisamos recuperar o direito do povo ao emprego, à comida, à educação e à felicidade”.  

Recuperação da economia

O ex-presidente afirmou que será necessário recuperar a capacidade de investimento público, investir em infraestrutura, convencer o empresariado a investir e reconstruir a credibilidade para reter investimentos externos. Para isso, o país precisa inspirar confiança. “Há duas palavras mágicas que são credibilidade e previsibilidade que um estadista deve alcançar para que a economia possa funcionar bem”, disse Lula.

Daí a minha disposição e minha vontade de viajar todo o Brasil, de falar com as pessoas e, inclusive, com os governantes da Europa, com os chineses, com os americanos, para que saibam que o Brasil voltará a ter um governo sério, para que saibam que o Brasil voltará a ter um governo civilizado, que ama a democracia, que pratica a democracia e que na democracia a melhor maneira de recuperar a cidadania do povo trabalhador do nosso país.”

Lula lembrou ainda que o Brasil ocupou a sexta economia do mundo quando o PT esteve no governo. Agora, é a décima segunda. Também destacou que o Brasil tinha um peso industrial de 30% do PIB, agora em apenas 11%. “Essa boa experiência dos governos do PT precisa voltar, governar o Brasil para que de uma vez por todas ele possa se recuperar e ficar ao lado dos países mais avançados do mundo, porque o Brasil tem muito potencial industrial, científico e tecnológico. Também possui uma natureza exuberante”, disse.

Lula está convencido de que é possível resgatar o país da atual condição de pária mundial e alçá-lo novamente a um papel de protagonista regional e internacional. “Quando eu era presidente, o Brasil viveu o melhor período de inclusão social de sua história, o melhor momento de crescimento para os mais pobres”, lembrou o petista.

Eleições 2022

Sobre as eleições de 2022, Lula garantiu que, quando chegar o momento, o PT vai apresentar sua candidatura ao pleito presidencial. “Eu ainda não decidi. Quando fevereiro chegar, decidirei se devo ou não ser candidato. E, se o povo brasileiro concordar, estou disposto a ser candidato e vencer as eleições”.

Questionado se nutria algum sentimento de vingança por sua prisão injusta e se, por isso, seria candidato para se vingar, Lula foi taxativo. “Acredito que ser presidente de uma República do tamanho do Brasil, com a população que o Brasil tem e com o potencial de desenvolvimento e crescimento que o Brasil tem, não pode ser uma decisão pessoal”, disse Lula.

“Minha ‘vingança’ será provar que o povo brasileiro pode viver muito melhor, que pode trabalhar e que seus direitos fundamentais podem ser respeitados. Essa é minha vingança. O Brasil não nasceu para ser pequeno. É um território enorme, tem incríveis fronteiras terrestres e marítimas, de mais de 8 mil quilômetros. O Brasil possui muitas riquezas minerais. Tem florestas, selvas e temos que resgatar tudo isso que a natureza nos deu”, concluiu o Lula.

Com informações do PT

A entrevista completa do ex-pres.idente Lula à RNE está disponível aqui.