21 de outubro de 2018

Em mais uma declaração polêmica e, no mínimo, desrespeitosa, o deputado Eduardo Bolsonaro, filho do presidenciável Jair Bolsonaro (PSL), afirmou que, se o Supremo Tribunal Federal decidir impugnar a candidatura de seu pai por algum financiamento irregular de campanha, bastaria um soldado e um cabo para fechar o STF.

Se o STF quiser arguir qualquer coisa, sei lá, ‘recebeu uma doação ilegal de R$ 100 do José da Silva, impugna a candidatura dele’, eu não acho isso improvável, mas aí vai ter de pagar pra ver. Será que eles vão ter essa força mesmo? O pessoal até brinca lá: se quiser fechar o STF, você não manda nem um Jipe, manda um soldado e um cabo. Não é querendo desmerecer o soldado e o cabo. O que que é o STF? Tira o poder da caneta de um ministro do STF, o que ele é na rua?”.

A afirmação, feita durante uma palestra e registrada em vídeo, foi dada antes das eleições do primeiro turno em resposta a uma indagação de alguém da plateia sobre qual seria a reação do Exército no caso de a justiça barrar a candidatura de Jair Bolsonaro.

Em um outro trecho do vídeo, o deputado também questionou: “Se você prender um ministro do STF, você acha que vai ter uma manifestação popular em favor dos ministros do STF? Milhões na rua: ‘Solta o Gilmar, solta o Gilmar’ [referência ao ministro do STF Gilmar Mendes], com todo o respeito que tenho pelo ministro Gilmar Mendes, que goza de imensa credibilidade junto aos senhores”.

Eduardo Bolsonaro  elogiou  as manobras ilegais realizadas para impedir a liberdade do presidente Lula. “É igual a soltar o Lula. O Moro [juiz federal Sergio Moro] peitou um desembargador que está acima dele, por quê? Porque o Moro está com moral pra cacete. Vai ter que ter um colhão filho da puta para conseguir reverter uma decisão dele”, afirmou.