22 de junho de 2017

O ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva voltou a fazer duras críticas ao governo Temer nesta quinta-feira (22), em entrevista à Rádio Brasil Atual. Para Lula, o povo brasileiro é a principal vítima da gestão atual. “Estou apanhando, mas é muito pouco diante do que está passando o povo brasileiro. Não é nada diante de um pai de família desempregado que não tem dinheiro para comprar o café da manhã”, afirmou.

Lula ressaltou a urgência de se ter um governo eleito democraticamente, com legitimidade e apoio da população para a retomada do crescimento. “Estamos diante de um golpe. O Brasil injuriado perante ao mundo. O presidente não é respeitado na Rússia, não é convidado para nada”, ressaltou, em referência à viagem diplomática de Michel Temer nesta semana. “Os 3% que avaliavam meu governo como ruim quando saí da presidência são os 3% que avaliam o governo Temer como satisfatório hoje”, disse. 

O ex-presidente reafirmou a necessidade de recuperar o ânimo e a autoestima da população. “Minha mãe, às vezes a casa enchia 1,5 metro de água, e você não via ela desanimar. Não é à toa que eles estão fazendo um trabalho sistemático de levar a sociedade a não gostar da política, como se houvesse outro caminho senão ela”, pontuou.

Processo

O ex-presidente comentou ainda a perseguição jurídica e midiática que vem sofrendo no processo do tríplex da OAS. “Já me viraram do avesso. Investigam minha vida há 30 anos. Se os políticos têm medo deles, eu não tenho. Já provei minha inocência, quero que eles provem minha culpa”, disse, ao comentar que espera que o juiz Sérgio Moro “não leve a sério” a peça produzida pelos procuradores da Lava Jato.

Para Lula, o que está sendo julgado não é o processo contra ele e sim seu governo. “Não é o Lula pessoalmente, é o que deu certo no meu governo. Tenho mais de 20 horas de Jornal Nacional contra mim. Mas eles não conseguem apagar a relação direta que eu tenho com o povo”, destacou.