25 de julho de 2014

Foi no grêmio do Colégio Estadual Porto Seguro, no Paraná, que Brenda Letícia de Souza Silva se aproximou da política. Também em um grêmio estudantil, o jovem Jadson Brás Ferreira encontrou espaço para discutir e propor soluções para antigos problemas de sua escola. Mais do que o estado de origem, eles têm em comum um projeto: o Parlamento Juvenil do Mercosul – iniciativa que reúne estudantes do Ensino Médio de escolas públicas da Argentina, Brasil, Paraguai, Uruguai e Venezuela para discutir a formação política e cidadã da juventude.

Depois de uma disputa com 80 candidatos, Brenda foi escolhida representante do Paraná para a gestão 2012-2014. Ao longo de dois anos, conheceu cinco estados brasileiros e países como a Colômbia e o Uruguai, onde teve oportunidade de expor demandas e ideias a ministros da Educação de todo o Mercosul. “Nunca tinha viajado para fora do país. Estudar, ter contato com outra língua, fazer esse intercâmbio foi um aprendizado muito grande. Pude perceber que o Brasil tem educação de qualidade. Comparando com alguns países vizinhos a gente nota isso”. E completou: “Aqui a gente tem um diferencial, os jovens participam muito de tudo. Tem espaço para isso, ao menos”.

A estudante destaca que o principal benefício trazido pela iniciativa, no entanto, foi a mudança na maneira de encarar a política e a compreensão da importância da participação da juventude neste debate. “O jovem é o futuro, mas também é o presente. Essa visão de que o jovem o é bagunceiro, irresponsável só vai mudar se ele começar a participar, e a sociedade que esse jovem quer muda com a participação dele”.

Brenda se prepara para se despedir oficialmente do projeto este ano e se orgulha do legado construído. As 22 escolas de sua cidade, Paranaguá, contam hoje com grêmios estudantis, há projetos que ultrapassaram os muros das escolas e modificaram o bairro e a comunidade local, além do diálogo em casa, onde todos passaram a se engajar mais na política. “Do meu irmãozinho, que eu quero que conheça o grêmio e também o Parlamento, a minha avó, que gosta de política, mas não sabia bem como participar, todos estão envolvidos de alguma maneira”, finaliza.

O estudante Jadson Brás Ferreira, de 16 anos, assume em 2014 a representação do Paraná até 2016. Ele afirma que sempre se interessou por política, mas foi no grêmio da Escola Estadual Roberto Langer Junior, no Alto Boqueirão, que encontrou um espaço para debater e colocar em prática ações que levarão a resultados concretos. “Primeiro no grêmio, e depois no Parlamento, o que mais me chamou a atenção é que são escolhidas pessoas que têm uma mentalidade diferente em relação à política. Tem muita gente que acha que é política é balela, mas sempre tem gente boa que quer fazer a diferença”.

Ele acredita que o projeto derruba o mito que política, religião e futebol não devem ser discutidos. “Política você tem que discutir, é quase uma obrigação da juventude. Nesses dois anos a gente vai discutir sim. Quebrar esse tabu”. E completa: “Vou fazer o possível e conseguindo, vou fazer o impossível. Tem que estudar muito, batalhar muito, mas estou preparado pro desafio que vou encarar”.

Em julho, Brenda e Jadson estiveram com o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva no encontro do Partido dos Trabalhadores do Paraná. Em seu discurso, Lula citou os dois como exemplos de participação e protagonismo na política na juventude.