23 de outubro de 2018

A BBC publicou nesta terça-feira (23/10) matéria intitulada “Os valores e ‘boatos’ que conduzem evangélicos a Bolsonaro”. A fake news relativa ao “kit gay” mostrou-se determinante para a definição dos votos desse segmento da população brasileira, de acordo com a notícia – confirmando o que a campanha de Fernando Haddad vinha denunciando nas últimas semanas.

A reportagem relata que, “nos últimos dias, a BBC News Brasil conversou com evangélicos de diversas igrejas para entender o papel da religião na opção de voto em cada um dos candidatos” e destacou que o boato do “kit gay” “foi citado por todos os evangélicos com quem a BBC News Brasil conversou”.

A BBC explica na reportagem que “o Tribunal Superior Eleitoral (TSE) proibiu Bolsonaro de divulgar vídeos associando Haddad ao ‘kit gay'”, mas que “a campanha e apoiadores de Bolsonaro conseguiram colar no candidato do PT a imagem de um governo que iria ensinar sexo na escola e estimular homossexualidade, o que nunca foi cogitado por Haddad”.

A BBC ressalta que, “para isso, informações falsas sobre o petista foram disseminadas, como o fato de ele ser ministro da Educação quando o governo propôs distribuir a professores um material contra homofobia, apelidado por opositores de ‘kit gay’ – no entanto, a cartilha nunca chegou a ser enviada aos profissionais ou escolas”.

De acordo com a pesquisa Datafolha de quinta-feira passada (18/10), conforme destaca a matéria da BBC, “71% dos evangélicos do país declaram voto em Jair Bolsonaro no segundo turno. Ele vence com folga em todos os subgrupos – evangélicos tradicionais, pentecostais, neopentecostais e outros setores. Outros 29% dos evangélicos escolhem Haddad”.

Leia a notícia completa aqui.