29 de junho de 2013

De Adis Abeba, Etiópia

“A fome é, hoje, o problema mais sério da humanidade e pode ser erradicada com integração entre os países e com vontade política”, afirmou Celso Marcondes, coordenador executivo da Iniciativa África do Instituto Lula,  durante a sessão de boas vindas do encontro de alto nível sobre segurança alimentar que está sendo realizado até dia 1/7, em Adis Abeba, na Etiópia.

Para ver mais imagens e baixar fotos em alta resolução, visite o Picasa do Instituto Lula.

Intitulado “Rumo ao renascimento africano: novas abordagens unificadas para erradicar a fome na África até 2025 no âmbito do CAADP”, o evento está sendo organizado em parceria pelo Instituto Lula, pela Organização das Nações Unidas para Alimentação e Agricultura e pela União Africana em Adis Abeba, Etiópia. O objetivo é reunir chefes de estado, especialistas, doadores e ONGs africanas e internacionais para compartilhar experiências, criar uma coordenação e desenvolver um plano de ação conjunto para erradicar a fome no continente africano. Atualmente, 239 milhões de africanos, quase um quarto da população, passa fome.

A sessão de abertura foi transmitida pela União Africana por livestreaming. Assista.

Troca de experiências

Marcondes destacou, ainda, o compromisso do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva e do Instituto Lula para cooperar com os países africanos na luta para erradicar a fome e a miséria. “Queria dizer, em nome do ex-presidente Lula, que vocês podem contar com o engajamento dele e do Instituto Lula para ajudar a combater esse grave problema”, afirmou. Lula, que está no Maláui, onde participa de uma conferência sobre AIDS, chega à Etiópia nesta tarde. Amanhã, ele fará o discurso oficial de abertura do evento ao lado de José Graziano, diretor-geral da FAO, e Nkosazana Dlamini Zuma, presidenta da Comissão da União Africana.

Para Marcondes, o Brasil pode ajudar a erradicar a fome na África por meio da cooperação técnica. “A possível contribuição dos brasileiros é trazer informações sobre os avanços que tivemos no Brasil com nossas políticas sociais e melhor disponibilizá-las para que, quem sabe, possam ser úteis aos programas de desenvolvimento que os africanos já realizam, como o CAADP”, disse. “Nossa expectativa é que a União Africana saia dessas discussões ainda mais forte e integrada, para que possa coordenar as ações de combate à fome no continente africano”, disse Marcondes.

Além do coordenador executivo da Iniciativa África do IL, participaram da sessão de boas-vindas o diretor-geral da FAO, José Graziano; Alangeh Romanus Che, da Organização Pan Africana de Agricultores; Modibo Traore, coordenador da FAO para o Leste da África e representante da Etiópia na União Africana e na ECA e Abebe H. Gabriel, diretor da DRFA.

Durante a tarde, o encontro prosseguirá com encontros técnicos e mesas redondas de discussões. Amanhã (30), haverá a abertura oficial do encontro e no dia 1o acontecerá o encontro de chefes de estado, em que será assinada uma declaração de comprometimento para erradicação da fome. Lula estará presente nos dois dias.