08 de agosto de 2019

Por PT na Câmara

A presidenta nacional do PT, deputada Gleisi Hoffmann (PR) comemorou, na tribuna da Câmara, a decisão do Supremo Tribunal Federal de impedir a transferência arbitrária de Lula para São Paulo. Ela também agradeceu o apoio dos diversos partidos políticos ao ex-presidente nessa causa. “Há coisas maiores que nos unem na democracia”, afirmou. Gleisi acrescentou que essa “é a primeira vitória de uma série que vamos ter”, se referindo à expectativa de julgamento sobre a liberdade plena do ex-presidente Lula, a partir das revelações da “Vaza Jato”, que provaram que Lula foi julgado e condenado de forma parcial pelo ex-juiz Sérgio Moro.

Gleisi externou ainda a dor que ela sabe que o ex-presidente sente em Curitiba. “Sabemos a indignação que tem. Mas você tem sido altivo, tem sido forte, tem feito a sua defesa, tem enfrentado todas as agruras. As vitórias vão começar a vir sim, se Deus quiser, com a força que nós temos e com o entendimento do devido processo legal, do Estado de Direito, com a sua liberdade no próximo julgamento a ser feito pelo Supremo Tribunal Federal, porque não há outro resultado possível, diante de tantas injustiças praticadas”, reforçou.

A deputada avaliou ainda que a Câmara, ao agir suprapartidariamente para garantir o Estado Democrático de Direito deu um exemplo ao Brasil. “Deu um exemplo ao processo que nós estamos vivendo de como é possível resguardarmos a democracia, apesar das nossas divergências”. Ela aproveitou para agradecer a cada um dos parlamentares que se manifestaram em plenário ou que foi juntamente com a Bancada do PT no Supremo Tribunal Federal para falar sobre a situação do ex-presidente Lula e da injustiça e da violência que estava acontecendo.

Gleisi Hoffmann destacou ainda o papel do STF, “que prontamente reagiu a uma situação de violência e se manifestou, restabelecendo a ordem no País”. Ela destacou a manifestação do ministro da Suprema Corte, ministro Dias Toffoli, que “nos disse que não se lembrava de ter recebido uma diversidade de forças políticas em torno de um objetivo comum como a que recebeu lá. A presidenta do PT concluiu afirmando que tem certeza de que, a partir de hoje, “nós mudamos as relações institucionais, mostrando que há coisas maiores que nos unem no processo da defesa do nosso País e da nossa democracia”.

Esperança

O líder da Bancada do PT, deputado Paulo Pimenta (RS), também agradeceu e destacou a postura institucional da Mesa da Casa, agradeceu aos líderes de todos os partidos que foram ao STF e pelas manifestações em plenário, em defesa do ex-presidente Lula, do Estado Democrático de Direito, da Constituição, das garantias e dos direitos individuais de qualquer pessoa. “O Brasil vive um processo de escalada autoritária. E é preciso que nós sinalizemos para a sociedade brasileira que nós precisamos repactuar uma relação a partir daquilo que está disposto na Constituição de 1988. Nós estamos todos profundamente agradecidos, emocionados e confiantes na democracia que vai prevalecer neste País. O Brasil não é o País do ódio, não é o País da intolerância e a esperança vai vencer o medo sempre”, afirmou.

Ao também comentar a união de parlamentares das mais diversas ideologias, em defesa do Estado Democrático de Direito e contra a transferência arbitrária e ilegal do ex-presidente, o deputado Carlos Veras (PT-PE) afirmou que hoje a Câmara “dá uma resposta àqueles que se acham donos do mundo, donos do Brasil, e que fazem o que querem”. “Este Parlamento deixou claro que ainda há esperança de enfrentarmos aqueles que querem atentar contra o Estado Democrático de Direito”, acrescentou.

Também se manifestaram em plenário comemorando a decisão do Supremo que evitou a transferência do ex-presidente os parlamentares petistas: Arlindo Chinaglia (SP) Maria do Rosário (RS), Zeca Dirceu (PR), Erika Kokay (DF), Alencar Santana (SP), Benedita da Silva (RJ), Rogério Correia (MG), Paulão (AL), Célio Moura (TO),Assis Carvalho (PI) e Marcon (RS), João Daniel (SE), José Ricardo (AM) e Frei Anastácio (PB).