22 de agosto de 2018
Foto: Ricardo Stuckert

No estado da Paraíba, um dos grandes legados dos governos do Partido dos Trabalhadores foram os avanços na área da saúde. Entre os anos de 2003 e 2015, os investimentos feitos por meio do Sistema Único de Saúde (SUS) promoveram uma verdadeira revolução no acesso à Saúde gratuita, distribuição de remédios e controle de doenças endêmicas.

Entre as principais ações, Lula e Dilma inauguraram no Estado 1.474 Unidades Básicas de Saúde (UBS). No início de 2016, o programa Estratégia Saúde da Família contava com 1.352 equipes, formadas por médicos, enfermeiros, técnicos de enfermagem e agentes comunitários que visitavam as famílias em suas casas, intervindo em fatos que colocavam a saúde dos usuários em risco. À época, a iniciativa cobria 91,15% da população paraibana.

Enquanto o governo ilegítimo de Michel Temer pratica os desmontes do Programa Mais Médicos, lançado com o objetivo de ampliar o número de profissionais nas regiões mais carentes, o governo do PT levou à Paraíba 413 médicos, o que possibilitou o atendimento a usuários em 140 municípios até então esquecidos pelo poder público.

Com o programa Saúde Não Tem Preço, 514.383 pessoas foram beneficiadas com medicamentos gratuitos. Desse total, 333.390 foram distribuídos para hipertensos, 55.201 para diabéticos, 125.792 para hipertensos e diabéticos e 29.096 para pessoas com asma. Para atender os milhares de usuários, 600 farmácias populares também foram implantadas por todos os municípios paraibanos.

Os programas voltados à saúde da mulher também atingiram números recordes no Estado da Paraíba. Mais de 200 municípios, por exemplo, aderiram ao programa Rede Cegonha, uma iniciativa que assegura às mulheres a atenção humanizada durante a gravidez, parto, abortamento e puerpério.

A rede de saúde do Estado também alcançou metas expressivas no combate ao câncer do colo de útero. Nos 10 primeiros meses de 2015, foram realizados 112.220 exames citopatológicos em mulheres de 25 a 64 anos. No mesmo período, foram feitas 32.999 mamografias em mulheres de 50 a 69 anos.

Vale destacar ainda que a saúde bucal gratuita, praticamente inexistente no Estado, ganhou no governo do PT 1.257 equipes dentro do programa Brasil Sorridente. Até fevereiro de 2016, o Estado contava com 66 Centros de Especialidades Odontológicas.

Para o seu terceiro mandato, Lula reafirma seu compromisso com o SUS. Programas como Mais Médicos, Saúde da Família, SAMU e Farmácia Popular terão novamente todo apoio da União. Lula também criará a Rede de Especialidades Multiprofissional (REM) em polos regionais que articulará a atenção básica com cuidados especializados para superar a demanda reprimida de consultas, exames e cirurgias de média complexidade.