22 de setembro de 2018

A relação entre Lula e Haddad transformou milhares de vidas por todo o Brasil. No vídeo abaixo, o candidato do PT à presidência conta que sempre votou em Lula, mas que foi após trabalharem juntos que ele conseguiu entender mesmo quem era o ex-presidente: “porque eu nunca vi ninguém trabalhar da forma que o Lula trabalha”. Haddad conta que a amizade entre os dois veio depois de trabalharem juntos e, emocionado, disse que hoje o Lula é praticamente um membro de sua família. Confira abaixo:

Relação Lula e Haddad: Episódio 1

Sobre a relação Lula/Haddad e o começo de uma relação que transformou milhares de vidas brasileiras. Assista e compartilhe o primeiro de três episódios. #HaddadPresidente

Publicado por Lula em Sábado, 22 de setembro de 2018

 

Leia aqui a transcrição da história contada por Haddad no vídeo:

“Sabe que um dia teve uma história interessante, né? O Lula perguntou: ‘Você nunca votou em mim, né, Haddad?’. Eu já era Ministro! Eu falei: ‘Presidente, com exceção de 82, em que eu não votei no senhor para governador, em todas as outras eleições, eu votei no senhor, mas quero lhe confessar que sem convicção’. Aí ele: ‘Você…’. Aí a dona Marisa, que estava do lado, falou: ‘Fernando Haddad, que que você tá falando?’. Falei:

‘Presidente, meu pai falou assim para mim um dia:

– Você conhece o fulano?
– Conheço.
– Trabalhou com fulano?
– Não.
– Então, você não conhece o fulano’.

Então, a minha relação com o Lula, ela veio do trabalho mesmo… Sabe? Eu era muito… Eu era mais petista do que lulista, vamos dizer assim, né?
O Lula foi uma revelação para mim no trabalho, porque eu nunca vi ninguém trabalhar da forma que o Lula trabalha.

E eu acho que essa sinceridade minha acho que até agradou, porque eu falei a verdade! Eu falei: ‘Olha, o que… O senhor me ganhou no trabalho. Passei a entender o senhor melhor no trabalho’.

E a amizade veio depois, na verdade… Conhecimento dele eu já tinha, mas a amizade veio depois. Hoje o Lula é meio da família assim, sabe? Não sei nem explicar. É meio da minha família, mesmo. Não é modo de falar, não.”