18 de setembro de 2018

O candidato à presidência da República pela coligação “O povo feliz de novo”, Fernando Haddad (PT), participou na noite desta terça-feira (18/9) de um ato político na praça XV de Novembro, em Florianópolis (SC). Falando a uma multidão de eleitores, Haddad disse que se comprometeu com o presidente Lula a ganhar as eleições presidenciais para que o Brasil não caísse no obscurantismo, “na mão de quem não sabe governar e de quem não gosta do povo”.

Em Florianópolis, o ex-ministro da Educação voltou a lamentar as arbitrariedades cometidas pela justiça que impediram o presidente Lula de participar do processo eleitoral. Ele contou que o Partido dos Trabalhadores utilizou  todos os recursos para que Lula tivesse seus direitos políticos garantidos. “Eles preferiram dizer não para uma determinação da ONU […] Faltando duas horas para esgotar o prazo do Tribunal, eu, como advogado do Lula, perguntei a ele o que faríamos e, às 17 horas, ele olhou para mim e disse: “companheiro Haddad vai lá e ganha essa eleição para mim”, contou o candidato, que foi aplaudido pela multidão.

Durante o ato, Haddad afirmou ainda que seus adversários só podem ter problema fisioterápico e explicou o porquê. “Quando eles fizeram assim com a mão [símbolo da arma] a gente tem que fazer assim [L de Lula Livre] e encarar um projeto que é nosso, que é de todos os brasileiros. O Brasil tem jeito!”.

“Esse povo não gosta de gente, eles vão no aeroporto e não gostam de ver gente, eles vão no restaurante e não gostam de ver gente, vão na universidade e não gostam de ver gente e tudo o que nós queremos é ver gente em todo o canto, todo lugar”, ressaltou o candidato.

“Essa praça está muito bonita. A gente se enche de esperança para ganhar essa eleição. Vocês sabem que a gente está vivendo um momento muito delicado da vida nacional. Mas esse governo que está ai eles tinham um plano muito inteligente. O plano era afastar a Dilma, prende o Lula e está tudo resolvido. Só que não. Sabe o que nós ouvimos em Jequié, na Bahia, quando eu estive lá com o Rui Costa? Uma senhora nos falou que esqueceram de prender o povo e o povo é que vai resolver essa eleição”, disse Haddad.

Haddad também comentou na praça XV de Novembro o seu desempenho nas pesquisas eleitorais. “Faz uma semana que sou candidato e nós já estamos em segundo lugar […] Eu estou louco para chegar esse segundo turno. Eu estou louco para a gente ter um debate sobre o Brasil, sobre a classe trabalhadora, sobre as mulheres, sobre os negros, as avós e as mães que educaram seus filhos sozinhos”.

Haddad também lembrou que seus apoiadores têm 19 dias para continuar dialogando com os eleitores indecisos. “Vamos manter o ritmo de conversa no trabalho, no bairro, na família, com os amigos. Nós temos a chance de dar um salto de qualidade que nós nunca demos. Vivemos um sonho que foi interrompido e nós vamos retomar. Nós vamos apoiar as nossas mães e avós, que porventura, estiverem sozinhas. Vamos apoiar os professores, os movimentos estudantis. Não vamos sair das ruas enquanto a gente não ver a estrela brilhar novamente”.

O candidato de Lula resumiu a luta dos governos do PT: “A gente tem um projeto para esse país. A gente lutou muito para chegar lá. A gente construiu movimento popular, movimento democrático. Reconstruímos, em alguns casos, os nossos partidos de centro e esquerda, populares e democráticos. Nós organizamos as associações, ajudamos a organizar o movimento estudantil, o movimento dos sem terra, do sem teto, o movimento dos sem universidade e só chegamos ao poder em 2002 porque nós tínhamos o que oferecer para o povo. E esse povo tem memória. Sabe o que foram os 12 anos de governo democrático popular nesse país. E sabem o que eles fizeram depois que perderam a quarta eleição em 2014”.