09 de agosto de 2018

Em entrevista à agência de jornalismo Pública, o ex-diretor da Polícia Federal, Paulo Lacerda, confirmou que a ideia do processo do apartamento triplex pela Lava Jato era “tirar Lula do processo eleitoral”. Segundo ele, o roteiro seguido pelos investigadores da operação, com relação à acusação de que o apartamento pertencia a Lula, revela que a intenção de desconstruir Lula politicamente foi mais forte do que o combate à corrupção.

“Foram com sangue na boca. A ideia era tirar Lula do processo eleitoral. Para julgá-lo rapidamente, o tribunal furou a fila. Antes do processo do triplex, havia mais de cem casos esperando para entrar na pauta”, diz Lacerda.

As afirmações de Lacerda apenas confirmam o que juristas, profissionais de direito e todos os brasileiros que prezam pelo estado democrático de direito denunciam desde que foram feitas as primeiras acusações ao ex-presidente Lula, creditando a ele a propriedade de um apartamento no município do Guarujá (SP) supostamente doado por uma construtora. No entanto, não foi apresentada prova alguma e o apartamento sequer está em nome de Lula ou de qualquer pessoa de sua família. Veja aqui o que são Os Documentos do Guarujá.

Lula é inocente

Preso injustamente, desde 7 de abril, sem provas e apenas pela “convicção” dos procuradores da Lava Jato e pelo juiz de primeira instância Sérgio Moro, Lula insiste para que apresentem provas contra ele.

Passados quatro meses, Lula segue como preso político, em uma solitária, na carceragem da Superintendência da PF em Curitiba, e o roteiro de sua criminalização perpassa várias instâncias e tribunais, reafirmando que há um roteiro seguido pelo golpe vivido no país em 2016 e que não quer Lula candidato à presidência da República.

Na mesma entrevista, o delegado Lacerda ainda afirma que a pena e a prisão de Lula são desproporcionais: “A base da condenação é frágil. O máximo que o Lula poderia pegar seria uma pena alternativa, como distribuição de cestas de alimentos à comunidade ou uma prisão domiciliar”.

Lacerda é uma das maiores referências em investigações de crimes financeiros. Ele foi o responsável por desvendar o esquema de corrupção no governo Collor. Em 2003, foi nomeado diretor-geral da PF e criou a Divisão de Repressão ao Crime Organizado e Inquéritos Especiais (Decoie).

Lula é candidato

Convenção do Partido dos Trabalhadores realizada no último dia 4 de agosto aclamou Lula como candidato à presidência da República e Fernando Haddad como vice. O registro da candidatura Lula será feito dia 15 de agosto no Tribunal Superior Eleitoral – TSE, em Brasília.