01 de setembro de 2018

O jornal francês Le Monde traz, em sua edição matinal de domingo (2/9), divulgada online neste sábado (1/9), matéria que analisa os desdobramentos da decisão da Justiça brasileira que, contrariando determinação da ONU, impugnou a candidatura do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva, líder absoluto em todos as pesquisas de intenção de voto realizadas até o momento. A manchete é sugestiva: “Privado de Lula, Brasil mergulha no desconhecido”.

Ao discorrer sobre possíveis caminhos das eleições presidenciais em um cenário sem o candidato em quem o povo quer votar, a notícia fala sobre a grande popularidade de Lula, apesar da descrença geral da população em relação à política. O jornal aponta que Lula se tornou sinônimo dos anos felizes do Brasil: “a memória de seus dois mandatos marcados pela prosperidade econômica, a redução da pobreza extrema e a proliferação de universidades em lugares remotos do país contribuíram para essa popularidade. Seu carisma e sua habilidade política também”.

O periódico lembra ainda que “Lula hoje recebe o endosso de personalidades europeias, tais como François Hollande, ex-presidente francês,  signatário em maio de um apelo para a candidatura do ex-sindicalista, ou Martin Schulz, ex-presidente do Parlamento Europeu e figura da Social Democracia do Velho Continente. O último, quando fez uma ‘visita solidária’ a Lula em sua cela, na quinta-feira, 30 de agosto, não deixou de apontar ‘as suspeitas em torno de seu julgamento’. ‘Lula é um homem corajoso’, insiste Schulz, emocionado”.

Para ler a matéria na íntegra, em francês, clique aqui.