23 de julho de 2021

Democracia censurada: juiz da comarca de Juiz de Fora (MG) censurou, na última quarta (21), a exposição “Democracia em Disputa”, composta de painéis instalados em prédio público da cidade. A justiça ordenou a retirada de fotografia em que o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva recebe a faixa presidencial do ex-presidente Fernando Henrique Cardoso.

A exposição, idealizada pelo Instituto Nacional de Ciência e Tecnologia, Democracia e Democratização da Comunicação, reúne fotografias de marcos da democracia e de momentos em que ela foi questionada. A justificativa para a censura foi que os painéis, acusados de serem “engenhos de publicidade”, aviltavam o patrimônio público.

Aparentemente, a democracia avilta os apoiadores de Bolsonaro. Quem ingressou com ação popular contra a exposição foi o vereador Sargento Mello Casal (PTB), bolsonarista responsável por disseminar mentiras nas redes.

“Os painéis veiculam imagens fotográficas documentais de momentos históricos da construção democrática brasileira e foram selecionados por alguns dos principais historiadores do país com base em critérios técnicos e históricos. As contestadas imagens registram, portanto, passagens fundamentais da construção democrática brasileira. Nada mais distante de peças publicitárias”, afirmou o instituto em nota.

Essa não é a única foto em que Lula e FHC aparecem juntos celebrando e lutando pela democracia. Em meio de 2021, os dois ex-presidentes se encontraram para debater sobre o Brasil, o combate à pandemia e o enfrentamento a Bolsonaro. Há 43 anos, outra foto histórica reúne Lula e FHC: em 1978, ambos distribuíam panfletos em frente a uma montadora em São Bernardo do Campo. FHC era candidato ao Senado e pedia votos com o apoio de Lula.

Foto: Ricardo Stuckert

Lutar pela democracia é também lutar pelo direito à memória e à verdade. Outra iniciativa nesse sentido é o site do Memorial da Democracia, museu virtual produzido pelo Instituto Lula com o objetivo de contribuir para o resgate da memória das lutas de nosso povo pela democracia, pela igualdade e pela justiça social entre 1930 e 2010.