23 de janeiro de 2019

A formalização desse acordo de delação significa que o empresário irá receber novos benefícios por ter prestado relevante contribuição na perseguição judicial imposta a Lula por pessoas já identificadas no comunicado que levamos ao Comitê de Direitos Humanos da ONU, ainda pendente de julgamento.

O ex-Presidente Lula já demonstrou em depoimentos prestados à Justiça que a versões apresentadas por Leo Pinheiro na tentativa de incrimina-lo são mentirosas e por isso jamais foram acompanhadas de qualquer prova ou elemento de corroboração.

Afirmações feitas por delatores não têm qualquer valor probatório conforme dispõe a lei e a jurisprudência pacífica dos Tribunais, inclusive do Supremo Tribunal Federal.

Defesa do Presidente Lula