26 de janeiro de 2022
Foto: Reprodução Youtube

Em conversa com a rádio CBN Vale do Paraíba na manhã desta quarta (26), o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva destacou a necessidade de investimento em Ciência e Tecnologia para desenvolvimento de uma indústria forte na área de saúde no Brasil. Lula também criticou a gestão do governo federal, que desorienta a população e não cuida do povo que sofre na pandemia.

 “Nunca tivemos ministros da Saúde com pensamento tão retrógrado e atrasado como temos hoje. O Bolsonaro não conseguiu indicar um único ministro da Saúde que fosse interessado em cuidar do povo”, disse, lembrando que o país já sofreu com mais de 624 mil mortes pela Covid-19. “Eles ainda continuam receitando remédio que não vale nada para enfrentar a Covid 19 e continuam negando a vacina. É um descalabro. Por isso estou convencido que voltar governar o Brasil será uma verdadeira guerra para recuperar o país e fazer as coisas funcionarem corretamente”.

Lula destacou que os próprios ministros do atual governo não seguem as recomendações médicas e da comunidade científica. “Tem um ministro que tenta dificultar a vacina para criança, quando toda a ciência orienta que não tem outro remédio a não ser a vacina. E o segundo remédio é tentar evitar aglomeração.  Todo mundo, todo o planeta terra, todos os cientistas, todos os médicos do mundo orientam isso. Só o Bolsonaro é que conseguiu descobrir no Brasil um nicho de fascistas que não acreditam na ciência. Não sei para que que estudaram medicina”.

O ex-presidente disse ser necessário fazer com que as pessoas percebam que investimento em saúde, assim como em educação e em políticas para a juventude, não é gasto, mas investimento.  “Se você não investe em saúde, educação e emprego, a pergunta que faço é: para que governo”?

Ele lembrou que no período em que esteve no governo, entre 2003 e 2010, fez inclusão social com responsabilidade. “Já provamos que o Brasil pode ser bem melhor, mais fraterno, mais solidário, mais humanista, mais inclusivo. E é isso que nós vamos voltar a fazer no país. Um país de todos e não um país de poucos”.

Na área de Saúde, Lula destacou a criação de programas como Farmácia Popular, Mais Médicos, Samu, Centros de Recuperação Odontológica e Brasil Sorridente. “Eu tinha necessidade de garantir para o povo pobre que ele não precisava ficar sorrindo sem dentes na boca. Era preciso que o Estado assumisse a responsabilidade de garantir que pessoas pudessem mastigar um pedaço de carne, um amendoim. 

Política industrial na área da saúde

Lula afirmou que quando se pensa em política industrial, a saúde é um nicho extraordinário, com potencial que deve ser explorado para que o país se torne competitivo na área, com participação em toda a cadeia produtiva, da produção de remédios a aparelhos modernos, como se faz em países como a Alemanha, Estados Unidos e Japão.

“Vamos explorar bem a área da saúde para o Brasil se tornar competitivo. O Brasil pode fazer a vacina, o Brasil tem estrutura para fazer a vacina. O que acontece é que nós temos um governo que não é governo”.

Assista à entrevista