29 de agosto de 2013

A emoção marcou o discurso do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva no Ato de comemoração dos 30 anos da Central Única dos trabalhadores, na noite de hoje (28) em São Bernardo do Campo. “A CUT não só ajudou a construir como continua a ser uma guardiã da democracia no Brasil”, disse Lula a centenas de pessoas no Pavilhão Vera Cruz, onde a entidade foi fundada.

Para ver mais imagens e baixar fotos em alta resolução, visite o Picasa do Instituto Lula.

Lula relembrou a história da CUT homenageando os trabalhadores e trabalhadoras que lutaram e se organizaram para garantir seus direitos, e exaltando a atitude sempre contestadora da entidade. “Eu tenho o prazer de ter visto a CUT viver o seu momento mais difícil, no nosso governo, de contestar, apoiar e negociar sem abdicar de reivindicar. Eu talvez não tivesse sido um presidente tão bom, como vocês dizem, se não fosse a CUT contestando o que fazíamos no nosso governo”, disse.

O ex-presidente também citou a colaboração da CUT para o desenvolvimento do Brasil, no fortalecimento dos sindicatos e em momentos históricos como “Diretas Já”. Lula também exaltou a necessidade da luta continuar. “Está longe de acabar a missão para qual a CUT foi fundada. O que a gente queria lá atrás, é exatamente o que queremos hoje. À medida que os paradigmas são quebrados, as pessoas ficam mais exigentes e querem mais”.

O presidente da Confederação Sindical das Américas, Victor Baez, saudou os trabalhadores e trabalhadoras da CUT em nome de todos os sindicalistas das Américas e homenageou o ex-presidente Lula. “É um orgulho ter o Lula, um presidente operário que é referência para a esquerda mundial”.

Homenagem a Clara Ant
A diretora do Instituto Lula, Clara Ant, foi homenageada por ser uma das fundadoras da Central e ter colaborado na construção da logomarca da CUT. “Quero aqui fazer uma justiça, o criador da logo foi Jorge Bittar, meu grande companheiro”, disse. Clara exaltou a participação das mulheres que lutam pelos direitos dos trabalhadores, que ajudaram a construir a CUT e que são protagonistas nesta história. “Tenho orgulho de ter feito parte desta trajetória e ter construído o sindicalismo autêntico em nosso país”.