19 de outubro de 2021

Em entrevista à rádio A Tarde, da Bahia, o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva disse que não é momento de priorizar as eleições de 2022 e sim olhar com atenção para a situação do país neste período pós-pandemia, quando milhões de brasileiros passam fome, que o desemprego está muito grande e que as pessoas subempregadas, vivendo de bico, já passam de 33 milhões de pessoas.

“Eu acho que o momento é dos problemas sociais, o problema da fome, o problema do emprego e do salário para depois, então, discutir as eleições”, afirmou, acrescentando que vai definir sua candidatura apenas no início do próximo ano. “Temos uma coisa mais importante agora, quando vemos no jornal que tem pelo menos 19 milhões de pessoas passando fome crônica, tem 116 milhões de pessoas com algum problema de insegurança alimentar, quando você vê na imprensa que tem 14 milhões de desempregados e 34 milhões de pessoas vivendo de bico nesse país, que estão com empregos informais… As pessoas estão voltando a um tempo de esquecimento pelo Estado brasileiro”.

Lula também disse que o presidente atual não governa o país, que vem sendo governado pelo ministro da Economia, que parece uma coisa alucinante, sem rumo nem decisão. “O país está precisando dá uma parada e consertada. Precisamos recuperar o país e reconstruir o país porque nós provamos que esse país pode ser melhor”, disse o ex-presidente, lembrando que, em 2008, o Brasil era a 6ª economia do mundo. “Fomos capazes de gerar 22 milhões de empregos formais, conseguimos 74% de aumento real no salário mínimo, colocamos 74 milhões de pessoas no sistema bancário. Então, é possível fazer outro país e é esse país que precisa ser reconstruído e esse país que eu estou me propondo, com outros milhões de brasileiros, a ajudar a construir”.

Acompanhe outros trechos da entrevista:

Assista aqui: