07 de maio de 2022

Em discurso de lançamento do Movimento “Vamos Juntos pelo Brasil”, base para futura candidatura à Presidência da República, o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva criticou, na manhã de hoje (7), o processo de desmonte da Petrobras e se se posicionou contrário à privatização dos bancos públicos e da Eletrobras, cujo processo de venda está em curso pelo atual governo.

“A Eletrobras foi construída ao longo de décadas, com o suor e a inteligência de gerações de brasileiros. Mas o atual governo faz de tudo para entregá-la a toque de caixa e a preço de banana.  O resultado de mais esse crime de lesa-pátria seria a perda da nossa soberania energética. Defender a nossa soberania é defender também a Eletrobrás daqueles que querem o Brasil eternamente submisso

Segundo o ex-presidente, programas sociais como o Luz para Todos, que levou energia para cerca de 16 milhões de brasileiros que viviam na escuridão, serão inviabilizados se a maior empresa de geração de energia da América Latina, responsável por quase 40% da energia consumida no Brasil, for para as mãos da iniciativa privada.  Além disso, haverá aumento de tarifas, perda de empresas importantes como como Chesf, Furnas, Eletronorte e Eletrosul e perda também de parte da soberania sobre alguns dos principais rios do país, como o São Francisco e o Paraná.

Sobre a Petrobras, Lula afirmou que a estatal está sendo desmantelada dia após dia, com venda de ativos importantes, como a BR e gasodutos, além de reservas do Pré-Sal e refinarias. Lula voltou a dizer que a destruição da Petrobras penaliza os brasileiros com preços altos dos combustíveis e inflão.

“O resultado desse desmonte é que somos autossuficientes em petróleo, mas pagamos por uma das gasolinas mais caras do mundo, cotada em dólar, enquanto os brasileiros recebem os seus salários em real. O óleo diesel também não para de subir, sacrificando os caminhoneiros e fazendo disparar os preços dos alimentos.  O botijão de gás chega a custar 150 reais, comprometendo o orçamento doméstico da maioria das famílias brasileiras.

De acordo com o ex-presidente é preciso fazer com que a Petrobras volte a ser uma grande empresa nacional e coloca-la novamente a serviço do povo brasileiro e não dos grandes acionistas estrangeiros. “Nós precisamos fazer com que a Petrobras volte a ser uma grande empresa nacional, uma das maiores do mundo. Colocá-la de novo a serviço do povo brasileiro e não dos grandes acionistas estrangeiros. Fazer outra vez do Pré-Sal o nosso passaporte para o futuro, financiando a saúde, a educação e a ciência”.

Lula afirmou ainda que defender a soberania do Brasil é também defender os bancos públicos, como Banco do Brasil, Caixa, BNDES, BNB e Basa, criados para fomentar o desenvolvimento.