01 de outubro de 2018

Nesta segunda feira (01/10), o candidato à presidência da República pela coligação “O Povo Feliz de Novo”, Fernando Haddad, visitou o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva na sede da Superintendência da Polícia Federal, onde ele é mantido como preso político há quase seis meses. Na saída, Haddad conversou com os jornalistas e passou um recado do ex-presidente: Lula disse que está à disposição da imprensa do Brasil e do mundo para “prestar esclarecimentos e falar da situação do país sem nenhum tipo de interdição”.

Haddad disse que conversou com Lula sobre as graves ameaças à liberdade de imprensa. “Queremos nos solidarizar com os veículos que estão querendo levar ao cidadão as informações. Vários veículos têm pedido entrevista com o ex-presidente Lula, inclusive deferidas pelo poder judiciário. Infelizmente, tem havido um choque de entendimentos que tem prejudicado a própria imprensa, a liberdade de imprensa e o direito do povo de ter informação. Lula é um líder político importante, que tem o que dizer”, declarou Haddad.

Perguntado sobre os ataques que seu programa de governo tem sofrido, Haddad afirmou: “Na verdade, a preocupação é de que o Congresso tenha uma agenda de reformas constitucionais importantes, e que ele escolha o caminho mais adequado para fazê-las. (…) Nosso propósito é promover as reformas constitucionais, com a mudança do regime tributário – é importante discutir que hoje o pobre é que paga imposto, o rico não paga, e o Congresso tem que se debruçar sobre isso -, uma reforma do sistema bancário, contra o cartel que se estabeleceu no país que espolia a população, cobrando juros extorsivos. A questão dos regimes próprios, nós temos insistido, muitos estados e municípios estão quebrados. Então, tem uma agenda ampla. Nós gostaríamos que o Congresso criasse um rito pra aprovar essas medidas, que dê uma segurança jurídica, que crie um ambiente de negócios favorável à retomada do crescimento”.