15 de agosto de 2016

O ex-presidente Lula e Marisa Letícia Lula da Silva participaram nesta segunda (15), em Santo André (ABC Paulista), do Encontro das Mulheres e Militantes com Lula, para tratar sobre os avanços e desafios da Lei Maria da Penha, que completou 10 anos na última semana. 

“Acabou o tempo, que deveria fazer parte da pré-história, em que a mulher era tratada como objeto de cama e mesaA mulher não pode ser tratada como objeto, a mulher tem protagonismo dentro e fora de casa”, disse Lula “Por isso, tenho orgulho de ter tido como sucessora a primeira mulher a presidir o Brasil. Que foi barbaramente torturada e chegou à presidência sem ódio. Lamento profundamente que a elite brasileira não tenha dado conta de conviver com a diversidade.”

(Para ouvir a fala de Lula, clique no link ao final do texto)

O encontro é uma iniciativa da CUT São Paulo, por meio de sua Secretaria Estadual da Mulher Trabalhadora, e marca o início da comemoração aos 30 anos da criação da Comissão da Mulher Trabalhadora na CUT.

Maria da Penha, biofarmacêutica cearense que sofreu duas tentativas de homicídio, ambas praticadas pelo ex-marido, ficou paraplégica e iniciou uma luta sem trégua pela punição ao agressor, que só iria a julgamento 19 anos depois. A luta pelo fim da violência contra as mulheres continuou e conquistou um poderoso reforço no Governo Lula: a Lei Maria da Penha, sancionada em 2006. Entre outros avanços, a Lei Maria da Penha possibilita que agressores de mulheres em âmbito doméstico ou familiar sejam presos em flagrante ou tenham a prisão preventiva decretada.