31 de maio de 2022

O ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva lembrou hoje do Luz para Todos, que investiu R$ 20 bilhões para levar energia elétrica a 4 milhões de residências que viviam na escuridão, e disse que programas como esse – viabilizado com a Eletrobras nos governos do PT – jamais sairiam do papel por meio de empresas privadas.

“Nenhuma empresa privatizada vai ter dó que o pobre está cozinhando com fogão de lenha ou que está trabalhando à luz de candeeiro não. Somente uma empresa pública, o Estado, é que tem coragem de tomar essa atitude. E nós fizemos, investimos R$ 20 bilhões para levar energia na casa de pessoas que viviam no século XVIII”, disse.

O ex-presidente é contra a venda do controle da Eletrobras para a iniciativa privada, projeto que está em curso pelo atual governo e que deve ser revisto num eventual novo governo do PT. Além da perda da soberania e da segurança energética, a venda da estatal representa ainda risco de alta de preços.

Lula mencionou outros programas sociais dos governos petistas e disse que a novidade de sua gestão foi incluir o pobre no orçamento, o que movimentou o comércio e a indústria, gerando empregos e fazendo a economia girar.

O ex-presidente defendeu que o Brasil seja de fato uma nação independente e soberana e dê oportunidade para o trabalhador viver dignamente com seu salário. “No meu governo, o salário mínimo pôde aumentar todo ano, e hoje o salário mínimo não pode aumentar. Por que no meu governo com o salário se podia comprar três cestas básicas e agora mal e porcamente dá para comprar uma?”, questionou em entrevista ao vivo à Rádio Bandeirantes de Porto Alegre.