30 de setembro de 2013

“Eu estou aqui, um ano e meio depois, falando mais do que eu falava antes e já não tenho mais nada na minha garganta”, disse o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva em depoimento para a campanha “Voz sobre câncer” da Sociedade Europeia de Câncer de Cabeça e Pescoço.

A iniciativa busca sensibilizar a população sobre a importância da prevenção da doença, reconhecimento dos sintomas e a realização de exames para o diagnóstico precoce. No vídeo, Lula conta sua experiência de como descobriu o câncer e do tratamento que passou para superar a doença.

Lula lembra que ao levar sua esposa ao médico disse que não queria fazer exames pelo medo do diagnóstico. “Lembrei que meu irmão mais velho teve câncer na garganta”. Lula foi diagnosticado com câncer na laringe em 29 de outubro de 2011 e os médicos optaram por não realizar operação, já que corria o risco de perder a fala. “A única coisa que eu tenho de valor é a minha voz. Eu não sei o que um político faria sem voz”.

Para baixar imagens em alta resolução, visite o Picasa do Instituto Lula.

“Pela minha experiência posso dizer que o paciente é muito importante no tratamento contra o câncer. Não tem nada de bom no tratamento, mas ele tem que seguir as orientações. Pois ele tem que saber que o resultado disso é ele viver”, contou Lula sobre sua disciplina com o tratamento. Ele também agradeceu a eficiência da equipe médica.

O ex-presidente fala que se tornou uma pessoa mais sensível após o tratamento e superação do câncer. “Tudo que eu puder fazer para contribuir e para que as pessoas tenham um tratamento adequado, eu vou fazer, porque eu sei o que é o mundo do câncer”.

Assista à íntegra do vídeo: