16 de outubro de 2018
Foto: Mauro Calove

A pastora Cleide Caldeira, da Igreja Presbiteriana Independente, visitou o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva, na Superintendência da Polícia Federal, em Curitiba. Ela se disse emocionada por ter tido o “privilégio” de conversar com Lula por uma hora.

Cleide afirmou que não conhecia o ex-presidente pessoalmente e que ficou impressionada de como ele é afetuoso e carinhoso. ” Ele segurou a minha mão o tempo todo,  uma mão quentinha, macia. Digo isso porque precisamos lembrar dessa humanidade do nosso presidente. Ele se distingue de todos os  outros líderes políticos que temos no nosso país. Ele vive do afeto, das relações com as pessoas.É um homem  que quer sentir as pessoas, que olha nos olhos e se emociona. Nos emocionamos muitas vezes. Não esperava vê-lo se emocionar e eu me emocionar com ele”.

A pastora disse que os dois falam sobre muitos assuntos. “A gente falou de tudo, da vida, do sentimento de estar encarcerado, da indignação que ele tem, por estar sendo injustiçado, privado de sua liberdade, do convívio com as pessoas,  pagando por m crime sem provas, um  processo fraudulento”.

A pastora disse que os dois falam sobre muitos assuntos. “A gente falou de tudo, da vida, do sentimento de estar encarcerado, da indignação que ele tem, por estar sendo injustiçado, privado de sua liberdade, do convívio, por um crime sem provas, um  processo fraudulento”

Por outro lado, Cleide afirmou que Lula é um homem com muita esperança e vitalidade, e com uma vontade viver, vencer e lutar ímpar. Ela mandou um recado de Lula para as pessoas da Vigília. “Ele disse que quando sair de lá, a primeira coisa que vai fazer é vir dar um abraço em vocês. Porque vocês fazem a diferença na vida dele. Ele escuta todos os dias o ‘bom dia’, o ‘boa tarde’ e o ‘boa noite’ de vocês”, contou.

Lula falou ainda, segundo a pastora, sobre  o cenário político, sobretudo como a campanha de Jair Bolsonaro tem sido forjada nas fake news e nas mentiras e como as mídias têm influenciado no processo eleitoral. “Falamos sobre a relação dos evangélicos nesse papel de divulgação de fake news, e isso é pecado.”, disse ela, ressaltando que  da aproximação de parte dos evangélicos no movimento politico, preocupados com  construção social da democracia, que ela representa.

De acordo com Cleide o ex-presidente disse que os brasileiros têm que resistir ao fascismo porque as minorias vão sofrer muito, numa eventual vitória de Bolsonaro. “A todo momento, ele mostrou preocupação com o povo. E o que coloca um sorriso naquela cara linda dele somos nós. Ele tem anseio de ver o povo melhor”.

Ela disse que nunca conheceu ninguém tão preocupado com os mais necessitados como o presidente Lula.  “Ele não está preocupado com ele. A preocupação maior é com a gente. Com os pobres, nordestinos, mulheres. Isso me estimulou muito a continuar resistindo, a ficar do lado certo da história. Essa visita me marcou para o resto da minha existência”.