22 de fevereiro de 2016

Os advogados do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva protocolaram, nesta segunda-feira (22), requerimento ao Conselho Nacional Ministério Público (CNMP) em que reafirmam as informações da representação feita pelo deputado federal Paulo Teixeira (PT-SP) para interromper a série de irregularidades cometidas pelo promotor do Ministério Público de São Paulo Cássio Conserino em seu esforço para envolver Lula em acusações infundadas.

Lula e sua esposa, Marisa Letícia, foram convocados por Conserino para depor no dia 17 de fevereiro em investigação sobre hipotéticas fraudes na compra de uma cota-parte da cooperativa habitacional Bancoop. A investigação não foi distribuída de maneira apropriada, ferindo a legalidade e o princípio do promotor natural.

Conserino tinha ainda anunciado à Revista VEJA que iria denunciar o ex-presidente por crime de ocultação de patrimônio antes que Lula e seus advogados fossem notificados ou ouvidos, com as investigações ainda em andamento, mostrando clara parcialidade.

O depoimento foi adiado por liminar de conselheiro do Conselho Nacional do Ministério Público, que encaminhou a decisão em definitivo sobre o assunto para o plenário do Conselho.

Confira a íntegra da petição assinada pelos escritórios Nilo Batista & Advogados Associados e Teixeira Martins Advogados: