23 de abril de 2019
Foto: Ricardo Stuckert

O julgamento da quinta turma do Superior Tribunal de Justiça (STJ) que reduziu a pena do ex-presidente Lula no caso do triplex não diminui a injustiça à qual ele está submetido. A opinião é do próprio presidente, que foi visitado em sua cela em Curitiba nesta terça-feira (23) e enviou um recado por seu advogado Emídio de Souza. Nenhuma pena reduzida é justa para um homem que não cometeu crime algum.
“Até aqui não tive direito a um julgamento justo”, disse Lula ao advogado e deputado estadual por São Paulo.

O presidente Lula não esperava nada de positivo deste julgamento. Lula considera o julgamento totalmente como mais um capítulo da farsa que foi encenada desde a investigação e seguiu na acusação, na primeira e na segunda instâncias.

“Não foi uma coincidência os juízes jogarem todos do mesmo jeito. Eles já tinham uma combinação, como já tiveram no TRF-4 (segunda instância)”, disse Emídio em frente à sede da Polícia Federal na capital paranaense. “O julgamento de hoje é mais um capítulo de um julgamento totalmente político, é assim que o presidente enxerga. Um julgamento onde não vale prova, as provas de defesa são totalmente desconsideradas e a palavra do delator vale mais do que qualquer coisa.

Lula segue aguardando por um julgamento que respeite as leis, a Constituição e os fatos. Ao final de sua fala, Emídio ainda alertou que essa redução não representa um avanço em relação à liberdade do Lula. Como parte de um processo de julgamentos combinados e cartas marcadas, essa decisão não terá efeito algum caso o TRF-4 se apresse, como fez no ano passado, para condenar Lula em mais um processo sem crime, o do sítio de Atibaia.

Do Instituto Lula