21 de agosto de 2012

“Ao pegar as fotos do nosso encontro [em 2007, no Palácio do Planalto], o que havia em comum em todas as máquinas era a foto da xícara de porcelana com o brasão do nosso país. Antes, sempre éramos recebidos com copo descartável”, relatou Artur Custodio, Coordenador Nacional do Movimento de Reintegração de Pessoas Atingidas pela Hanseníase – Morhan. Lula recebeu ele e outros representantes do movimento esta tarde e assistiram juntos a parte de um documentário sobre a história das hansenianos e o que mudou na vida delas depois das ações do governo Lula.

Em 2007, o governo Lula instituiu uma pensão para as pessoas atingidas pela hanseníase. Esse benefício visava resgatar a cidadania de brasileiros que durante anos foram esquecidos pelo estado. “O grande passo do seu governo foi mostrar o erro de terem continuado a política de segregação mesmo quando a doença já tinha cura”, relataram os visitantes. Eles atualizaram Lula sobre a situação atual das colônias e ex-colônias de pessoas atingidas pela doença e dos filhos de pessoas doentes, que foram separadas da família e agora buscam reatar esses laços. Os representantes do Morhan ressaltaram ainda que uma conquista grande foi a hanseníase ser incluída como um dos indicadores sociais do programa Brasil Sem Miséria, porque é uma doença da pobreza. Além disso, eles contaram dos eventos regionais que pretendem fazer ainda esse ano e relembraram histórias de diversos momentos em que encontraram Lula.

Para baixar as fotos em alta resolução, visite o Picasa do Instituto Lula.