08 de agosto de 2019

Por Agência PT

O advogado Manoel Caetano Ferreira, que atua na defesa de Lula, afirmou que o Supremo Tribunal Federal (STF) fez justiça “parcialmente” ao suspender, na tarde desta quarta-feira (07), a transferência do ex-presidente para São Paulo. Em entrevista coletiva, ele analisou a decisão da Corte e reafirmou o caráter arbitrário da prisão a qual Luiz Inácio Lula da Silva está submetido desde 07 de abril de 2018.

“O STF acabou, ainda que parcialmente, fazendo justiça e corrigindo um equívoco que havia sido cometido pela Justiça Federal aqui no Paraná. Era uma decisão injusta e ilegal. Portanto, Lula continuará em Curitiba até o julgamento do habeas corpus”, explica.

Sobre a reação do ex-presidente, Manoel Caetano afirma que Lula recebeu a notícia da possível transferência com indignação. “Lula é considerado um preso político e estava indignado com mais essa injustiça contra ele”.

Na manhã desta quarta-feira, uma decisão da juíza Carolina Lebbos, da 12ª Vara Federal de Curitiba, autorizava a transferência de Lula de Curitiba para São Paulo. A medida foi suspensa pelo STF por 10 votos a um na tarde do mesmo dia.

Diante da decisão de Carolina Lebbos, 70 parlamentares de 12 partidos participaram de um encontro com o presidente do STF, ministro Dias Toffolli, na tentativa de impedir que Lula fosse vítima de mais uma injustiça.